Autor Tópico: A Canonical não acredita no Software Livre?  (Lida 6130 vezes)

eliseu_carvalho

  • Visitante
Re: A Canonical não acredita no Software Livre?
« Resposta #15 Online: 31 de Outubro de 2011, 19:41 »
Citar
Dave relatou que os designers envolvidos na nova concepção do Ubuntu utilizavam MACs e softwares proprietários na criação do projeto. Disse também que a equipe fez questão de salientar que gostariam de ter utilizado o Ubuntu e suas ferramentas no projeto, mas não tinham a familiaridade necessária para tal.

Será que toda vez que uma empresa for construir um carro ele vai ter que reinventar a roda?

É o mesmo que um fabricante de guitarras ter que reinventar as cordas... E é o mesmo que uma equipe de desenvolvedores ser obrigada a inventar uma nova linguagem de programação porque "não pode usar o que já existe".

Offline Supermouse

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 76
    • Ver perfil
Re: A Canonical não acredita no Software Livre?
« Resposta #16 Online: 31 de Outubro de 2011, 20:56 »
Não sei, veja bem, eu sou a favor do software livre/open source, e acho que o mundo seria bem melhor se todo mundo seguisse essa onda.

Também acho que deve-se procurar soluções livres ou open source para tudo, mas ao mesmo tempo eu entendo que existem empresas que desenvolvem tecnologias e querem proteger essas tecnologias, por qualquer motivo que for. Impedir o Linux de usar essas tecnologias, ser simplesmente "contra tudo que não for livre ou open source" acaba alienando o sistema. Codecs de mídia são feios e bobos, e temos formatos de multimídia livres que devem ser incentivados? Temos, mas ao mesmo tempo, grande parte do conteúdo multimidia existente usa os codecs proprietários, e se não tivermos uma forma fácil de instalá-los no Linux (ou pior, NÃO tivermos como instalá-los), só vamos afastar usuários. A mesma coisa com o Flash (o Gnash é um bom projeto, mas ainda não consegue fazer tudo).


Então, eu não acho que o Linux deve acabar com essa "baboseira de software livre", mas acho que deve acabar com esse xiitismo de "software livre ou morte", e de abominar qualquer tipo de software proprietário. Isso atrai empresas e populariza o sistema, ainda mais se a Microsoft continuar a inventar travas que só atrapalham a vida dos fabricantes.
Lembrando que essa é apenas a minha opinião, e se você discordar, você está errado.