Autor Tópico: [Tutorial] Instalar o Mozilla SeaMonkey no Linux  (Lida 9243 vezes)

Offline Sampayu

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 427
  • "Não é possível semear de mãos fechadas"
    • Ver perfil
    • YouTube
[Tutorial] Instalar o Mozilla SeaMonkey no Linux
« Online: 16 de Janeiro de 2015, 17:09 »
INTRODUÇÃO

Como eu comentei neste post, um bug de vazamento de memória (memory leak) no navegador Mozilla Firefox acabou me levando a desinstalar o Firefox e instalar o Mozilla SeaMonkey, que também é mantido pela Fundação Mozilla porém não tem esse bug, além de ser mais leve, mais rápido, mais feio :P, ter um visual retrô que lembra o Netscape Communicator e ser mais do que um navegador: o Mozilla SeaMonkey é uma suíte de aplicativos que inclui o navegador SeaMonkey (também há um cliente de e-mail, um cliente de bate-papo IRC etc.).

Como uma das filosofias da comunidade GNU/Linux é o compartilhamento de conhecimentos, resolvi elaborar este tutorial, de modo que os interessados em instalar e desinstalar o Mozilla SeaMonkey consigam fazê-lo usando linhas de comando, ou seja, executando comandos no terminal do shell.

Este tutorial foi dividido nas seguintes seções:
0 - INTRODUÇÃO
1 - INSTALAR
2 - EXECUTAR
3 - DESINSTALAR
4 - ATUALIZAR
5 - TROUBLESHOOTING (RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS)



Por que eu uso linhas de comando?

Ah, está curioso para saber por que bulhufas eu sempre prefiro usar terminal do shell em todo tutorial que eu crio? É porque existe uma infinidade de distribuições Linux e interfaces de usuário (mesmo entre as distribuições *Ubuntu, como por exemplo Ubuntu, XUbuntu, LUbuntu, KUbuntu etc.). Essas distribuições possuem diferentes interfaces gráficas (GNOME, KDE, Xfce, LXDE...) e diferentes gerenciadores de arquivos (Nautilus, Konqueror, Thunar...), por isto podem ter procedimentos diferentes a serem usados com o mouse e o teclado, seja para criar, mover ou excluir uma pasta, seja para descompactar ou mudar as permissões de um arquivo etc.

Você realmente acha que este tutorial seria eficaz em ensinar a instalação do SeaMonkey para todo mundo, caso o texto aqui fosse baseado em alguma distribuição, interface gráfica e gerenciador de arquivos que eu estivesse utilizando? É óbvio que não. :P Mas via terminal do shell a coisa muda: atualmente, a graaaaaande maioria das distribuições Ubuntu e derivadas (como Linux Mint), assim como várias distribuições baseadas no Debian, usam o shell bash. Mesmo quando existem vários shells no sistema, como por exemplo bsh, csh, tcsh, ksh, zsh etc., normalmente o bash é o shell padrão do sistema, portanto quando você executar um comando no sistema ele por padrão usará o bash para tentar interpretar o comando.

Um shell é mais do que um mero interpretador de comandos, e é por isto que eu escrevo shell ao invés de "interpretador". De qualquer modo, uma das funções de qualquer shell é interpretar comandos, portanto o fato de o bash ser um tipo de shell significa que o bash também é um interpretador de comandos. Consequentemente, já que o bash é um shell e o bash está presente na maioria dos sistemas Linux do planeta, os comandos mostrados neste tutorial, que são todos comandos para o shell bash, vão funcionar em um número de casos absurdamente maior do que caso este tutorial fosse baseado em alguma interface gráfica. 8)

...além de que qualquer linuxista que se preze tem que aprender no mínimo o básico de comandos do shell bash (comandos tais como cd, cp, grep, ls, ln, locate, mkdir, mv, rm, rmdir etc.). Deixe de preguiça e use esse shell aí, ô! ;D No Linux, quando algum problema ocorrer e a sua interface não lhe fornecer nenhum recurso para resolvê-lo (ou o problema estiver na própria interface), o shell será o seu refúgio, sua última chance de conseguir consertar o problema sem ter de formatar tudo ou tomar alguma outra atitude drástica. Por isto, é muito interessante saber mexer no sistema por intermédio do shell. Seja esperto e familiarize-se com o shell. Não tenha medo! Você só tem a ganhar.

Se você estiver usando alguma distribuição *Ubuntu ou alguma outra baseada no Debian ou no Ubuntu, é praticamente impossível que seu shell não seja o bash. E é por isto que este tutorial há de funcionar em "99,9%" dos casos. :)
« Última modificação: 10 de MAR?O de 2017, 20:16 por Sampayu »
Yuri Sucupira ("Sampayu")

Offline Sampayu

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 427
  • "Não é possível semear de mãos fechadas"
    • Ver perfil
    • YouTube
[Tutorial] - SEÇÃO 1: Instalar o SeaMonkey
« Resposta #1 Online: 16 de Janeiro de 2015, 17:10 »
1.1) OBTENHA O TARBALL DE INSTALAÇÃO
Acesse http://www.seamonkey-project.org/releases/ e faça download do tarball (arquivo .tar.bz2) da língua que você preferir. Eu costumo obter o tarball English (US) (para instalar o Mozilla SeaMonkey em inglês dos Estados Unidos), mas o Mozilla SeaMonkey também está disponível em Portuguese (Portugal) (português de Portugal), em Spanish (Argentina) (espanhol da Argentina) etc. Enfim: faça download do tarball na língua que quiser e salve esse tarball dentro da sua pasta de pessoal de downloads.

1.2) ACESSE SUA PASTA PESSOAL DE DOWNLOADS
Vamos pressupor que:
  • Seu nome de usuário é bogus
  • Sua pasta pessoal é /home/bogus
  • Sua pasta pessoal de downloads é /home/bogus/Downloads
  • Você salvou o tarball dentro dessa sua pasta pessoal de downloads

Tenha ainda em mente que no terminal do shell o ~ (caractere "til") é um atalho para a pasta pessoal do usuário que está conectado no momento. A título de exemplo, se seu nome de usuário for bogus e a sua pasta pessoal estiver em /home/bogus, então se você entrar no terminal do shell e executar o comando cd ~ você obterá o mesmo resultado que obteria caso tivesse executado o comando cd /home/bogus

Ou seja: em ambos os casos você entrará na sua pasta pessoal.

Tendo em vista tudo o que foi exposto aqui, e partindo do pressuposto que você salvou o tarball dentro da sua pasta pessoal de downloads, entre no terminal do shell e execute este comando, para poder entrar na sua pasta pessoal de downloads:

Código: [Selecionar]
cd ~/Downloads
1.3) EXTRAIA O CONTEÚDO DO TARBALL
Como você salvou o tarball dentro da sua pasta pessoal de downloads e em seguida "entrou" nessa pasta por intermédio do terminal do shell, ao executar o comando ls -l você verá um arquivo seamonkey-alguma-coisa.tar.bz2, em que alguma-coisa geralmente é a versão do SeaMonkey que você obteve.

Execute este comando para descompactar o tarball dentro da sua pasta pessoal de downloads:

Código: [Selecionar]
sudo tar -jxvf seamonkey*.tar.bz2
Nota: o caractere * (asterisco) está ali justamente para que o comando funcione independentemente do texto que esteja no lugar de -alguma-coisa

1.4) CRIE O DIRETÓRIO RAIZ DOS APLICATIVOS OPCIONAIS DA MOZILLA
Caso agora execute o comando ls -l --color |grep seamonkey (esse comando gera uma lista colorida do conteúdo da sua pasta pessoal de downloads, mas exibe somente as linhas da lista que têm a palavra seamonkey), você verá que dentro da sua pasta de downloads foi criada a pasta seamonkey. Ou seja: dentro da sua pasta pessoal de downloads há agora o tarball e também o novo diretório - seamonkey - que contém dentro dele uma cópia de todas as pastas e arquivos que estão dentro do tarball.

Como o SeaMonkey não faz parte da sua distribuição Linux (ele não veio pré-instalado e também não consta nos repositórios da distribuição), ele é um programa opcional, por isto é recomendável instalá-lo em /opt (abreviação de optionals, ou seja, opcionais). Além disso, o SeaMonkey é um dos vários aplicativos desenvolvidos pela Mozilla Foundation, por isto é recomendável criar uma subpasta mozilla dentro de /opt. Vamos criar essa subpasta. O comando é este:

Código: [Selecionar]
sudo mkdir /opt/mozilla
1.5) MOVA A PASTA DO SEAMONKEY PARA DENTRO DA PASTA DE APLICATIVOS OPCIONAIS DA MOZILLA
Se até aqui você fez tudo certo, no shell bash você está atualmente em ~/Downloads (execute o comando pwd para saber a qual diretório você no momento está conectado). Além disso, a pasta seamonkey (com todo o conteúdo do Mozilla SeaMonkey) está dentro de ~/Downloads, porém essa pasta seamonkey precisa ser movida para dentro de /opt/mozilla (já que seamonkey é a pasta de um dos aplicativos Mozilla opcionais que você está instalando em seu sistema Linux).

Para fazer essa movimentação, execute este comando:

Código: [Selecionar]
sudo mv seamonkey /opt/mozilla
SE o seu sistema for de 32 bits, então pronto: a instalação do SeaMonkey está concluída. :)

Nota: para saber qual a versão do seu sistema, execute este comando no terminal do shell:

Código: [Selecionar]
uname -i
Se o comando acima retornar i386, seu sistema é de 32 bits. Se retornar x86_64, seu sistema é de 64 bits.

SE o seu sistema for de 64 bits, será necessário habilitá-lo a executar aplicações de arquitetura de 32 bits, e em seguida instalar algumas bibliotecas de 32 bits necessárias ao funcionamento do SeaMonkey dentro do sistema de 64 bits. Eis o supercomando que você precisa executar para que tudo isso seja resolvido de uma só vez:

Código: [Selecionar]
sudo dpkg --add-architecture i386 && sudo apt-get update && sudo apt-get install libdbus-glib-1.2:i386 libxt6:i386 -y --reinstall
Agora pode executar o SeaMonkey. :D

PS: se não funcionar no seu sistema de 64 bits, talvez seja porque você está executando um kernel muito recente e algumas bibliotecas mudaram. Execute este comando, para instalar mais umas bibliotecas necessárias para sistemas de 64 bits mais recentes:

Código: [Selecionar]
sudo apt-get install libxcomposite1:i386 libstdc++6:i386 libgtk2.0.0:i386 libasound2:i386 -y --reinstall
Agora é cruzar os dedos e tentar novamente executar o Mozilla Seamonkey. :D
« Última modificação: 12 de Outubro de 2016, 04:52 por Sampayu »
Yuri Sucupira ("Sampayu")

Offline Sampayu

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 427
  • "Não é possível semear de mãos fechadas"
    • Ver perfil
    • YouTube
[Tutorial] - Seção 2: Executar o SeaMonkey
« Resposta #2 Online: 16 de Janeiro de 2015, 17:10 »
2.1) EXECUTAR O SEAMONKEY A PARTIR DO SHELL
A maneira mais básica de executar o Mozilla SeaMonkey consiste em executar este comando:

Código: [Selecionar]
/opt/mozilla/seamonkey/seamonkey
O arquivo seamonkey que se encontra dentro de /opt/mozilla/seamonkey/ é um binário executável, ou seja, um programa já compilado e pronto para execução. Se por qualquer motivo o comando acima não funcionar, é possível que seja porque o binário executável não está com permissão de execução. Neste caso, execute este comando para adicionar permissão de execução ao arquivo:

Código: [Selecionar]
sudo chmod a+x /opt/mozilla/seamonkey/seamonkey
Nota: o comando chmod serve para mudar as permissões de leitura (r), gravação (w) e execução (x) de arquivos e diretórios. A letra a significa que a modificação deverá ser aplicada a todos os usuários do seu sistema Linux. O operador + significa que você vai adicionar uma permissão. A letra x significa que você está adicionando a permissão de execução. O que vem após isso é o caminho completo para o arquivo que passará pela mudança de permissões.

Como se pode ver, o SeaMonkey pode ser executado via terminal do shell. E há opções de linha de comando. Para ver todas elas, execute o comando seguido da opção --help. Assim:

Código: [Selecionar]
/opt/mozilla/seamonkey/seamonkey --help
2.1.1. Criando um atalho em /usr/bin
Você também pode querer criar um atalho para o navegador SeaMonkey, dentro da pasta /usr/bin, pois deste modo o simples comando seamonkey no terminal do shell já será suficiente para que o navegador seja executado. Para criar esse atalho, execute o seguinte comando no terminal do shell:

Código: [Selecionar]
sudo ln -s /opt/mozilla/seamonkey/seamonkey /usr/bin/seamonkey
Agora que criou o atalho, sempre que você abrir uma janela do terminal do shell bastará digitar seamonkey e pressionar a tecla ENTER que o navegador SeaMonkey será executado. Além disso, alguns ambientes gráficos (como é o caso do Xfce) passarão a reconhecer o comando seamonkey caso ele seja executado diretamente no campo de pesquisa e/ou lançador do "painel principal" ou "menu iniciar" do seu ambiente gráfico.

2.2) EXECUTAR O SEAMONKEY A PARTIR DA SUA ÁREA DE TRABALHO (DESKTOP)
Aqui começam os problemas: como eu explico lá na Introdução, diferentes distribuições Linux usam diferentes interfaces gráficas, diferentes gerenciadores de arquivos etc. Por isto, se eu explicar aqui um procedimento gráfico para criar um atalho na Área de Trabalho (Desktop), esse procedimento poderá funcionar com quem estiver usando o Thunar (que atualmente é o gerenciador de arquivos que eu uso) mas poderá não funcionar com quem não estiver usando o Thunar.

Bom... Hoje em dia as interfaces gráficas das distribuições Linux são fáceis de usar, por isto acredito que aí no seu sistema seja bem fácil abrir o seu gerenciador de arquivos, acessar o endereço /opt/mozilla/seamonkey e daí clicar com o botão direito do mouse em cima do arquivo binário executável seamonkey

Se você fizer isso, é bem provável que surja um menu com várias opções, e é possível que uma dessas opções seja algo do tipo "Enviar para... Área de trabalho (criar link)". Se houver alguma opção desse tipo, que ótimo! Clique em cima e será criado um atalho para o SeaMonkey lá na sua área de trabalho. Melhor que executar o SeaMonkey a partir do terminal do shell, né? :)

Se porventura o seu gerenciador de arquivos não tiver esse recurso de criação de atalho, você pode acessar o terminal do shell e criar o atalho usando o comando ln. Mas antes disso você precisa verificar aí se a sua área de trabalho está dentro de uma pasta intitulada "Área de Trabalho", ou dentro de uma pasta intitulada "Desktop", ou se está dentro de uma pasta com algum outro nome. Aqui no meu sistema Linux (XUbuntu 14.04 de 32 bits) a pasta da minha área de trabalho está em /home/meu-nome-de-usuário/Área de Trabalho.

A título de exemplo, caso sua pasta de área de trabalho fique em /home/seu-nome-de-usuário/Área de Trabalho, este comando provavelmente irá funcionar e, em tal caso, criará o atalho corretamente:

Código: [Selecionar]
ln -s /opt/mozilla/seamonkey/seamonkey ~/Área\ de\ Trabalho/SeaMonkey
Após executar o comando acima, veja se na sua área de trabalho aparece o arquivo SeaMonkey. Apareceu? Então execute-o. Ele abriu o SeaMonkey? Então funcionou. Que bom. :)

Se não funcionou, há três possibilidades:
  • A pasta da sua área de trabalho não se chama Área de Trabalho; ou
  • A pasta da sua área de trabalho não fica dentro de ~ (que é um atalho para /home/seu-nome-de-usuário); ou
  • As duas possibilidades acima estão ocorrendo ao mesmo tempo. :P

Você terá de investigar para descobrir qual das três possibilidades acima é o seu caso. Após desvendar o mistério, basta corrigir o comando informando o nome e o caminho correto da pasta da sua área de trabalho. Se estiverem corretos, o atalho será criado.

Outro exemplo usando o mesmo comando, só que agora supondo que o nome da pasta da sua área de trabalho seja Desktop e que essa pasta esteja dentro de /home/seu-nome-de-usuário:

Código: [Selecionar]
ln -s /opt/mozilla/seamonkey/seamonkey ~/Desktop/SeaMonkey
2.3) EXECUTAR O SEAMONKEY A PARTIR DO MENU
Dando continuidade à complicação que é fazer um tutorial que funcione com tudo quanto é interface gráfica e gerenciador de arquivos, uma outra possibilidade é que você consiga executar o SeaMonkey a partir do menu do seu sistema. Seu SeaMonkey muito provavelmente não foi detectado pelo gestor de interface gráfica, por isto ele não aparecerá no menu de aplicativos.

No caso do Xfce, é relativamente fácil lançar (executar) o SeaMonkey: basta clicar no ícone do "menu iniciar" do Xfce, digitar "exec" (sem as aspas) no campo de pesquisa, selecionar a opção "Executar programa...", colar o texto /opt/mozilla/seamonkey/seamonkey (ou apenas digitar seamonkey, caso você tenha criado o atalho do subitem 2.1.1) e então clicar em "Lançar". Muito trabalhoso ter de ficar sempre fazendo isso? Então crie um novo painel (ou vá a um painel que já exista), daí crie um novo lançador (launcher) e informe dentro dele o comando /opt/mozilla/seamonkey/seamonkey %U (esse %U é necessário e refere-se ao usuário que está conectado no momento ao sistema Linux). Detalhe: o ícone do SeaMonkey está em /opt/mozilla/seamonkey/chrome/icons/default/seamonkey.png (o ícone menor está no mesmo local, só que no lugar de seamonkey.png o nome do arquivo é default.png). Ainda no Xfce, você pode ir ao painel de controle, executar o Editor de Menus e então clicar no botão + para criar um novo lançador: daí basta informar o comando /opt/mozilla/seamonkey/seamonkey, dar um nome ao lançador, escolher um ícone (se quiser), salvar as alterações e-pronto! 8)

Nas outras interfaces gráficas não há de ser muito diferente: você provavelmente disporá de um item de menu que permite executar comandos, daí caso digite a palavra seamonkey e pressione a tecla ENTER o comando será executado. Se você criou o atalho mencionado no subitem 2.1.1, muito provavelmente funcionará informar apenas a palavra seamonkey. Se não funcionar, experimente usar o caminho completo do comando, ou seja, /opt/mozilla/seamonkey/seamonkey. Se esse recurso não estiver disponível na interface do seu sistema, você provavelmente poderá editar o menu do seu sistema e adicionar um novo lançador ou atalho usando o comando /opt/mozilla/seamonkey/seamonkey. Para quem usa GNOME+Unity, geralmente é suficiente executar o SeaMonkey a partir da linha de comando, daí quando o ícone do SeaMonkey aparece no painel esquerdo (barra lateral) do Unity você clica com o botão direito sobre esse ícone do SeaMonkey e seleciona uma opção que lhe permita reter/prender/fixar o ícone no painel/menu/lançador.

Há ainda os aventureiros que gostam de criar um arquivo .desktop dentro da pasta /usr/share/applications. É uma possibilidade que pode ser posta em prática com o uso de algum editor de textos simples, como por exemplo o mousepad ou o gedit. Se quiser experimentar fazer isso, você pode instalar o mousepad:

Código: [Selecionar]
sudo apt-get install mousepad
...ou então instalar o gedit:

Código: [Selecionar]
sudo apt-get install gedit
...e após isso executar qualquer um deles em modo superusuário (root) para criar o arquivo de atalho. Você pode executar:

Código: [Selecionar]
sudo mousepad /usr/share/applications/seamonkey.desktop
...ou então executar:

Código: [Selecionar]
sudo gedit /usr/share/applications/seamonkey.desktop
Agora acrescente estes códigos à janela do mousepad / gedit:

Código: [Selecionar]
[Desktop Entry]
Version=1.0
Name=Seamonkey
Name[en]=Seamonkey
Name[pt]=Seamonkey
Name[pt_BR]=Seamonkey
GenericName=Web Browser
GenericName[en]=Web Browser
GenericName[pt]=Navegador Web
GenericName[pt_BR]=Navegador de Internet
Comment=Access the Internet
Comment[en]=Access the Internet
Comment[pt]=Aceder à Internet
Comment[pt_BR]=Acessar a Internet
Exec=/opt/mozilla/seamonkey/seamonkey %U
Terminal=false
Icon=/opt/mozilla/seamonkey/chrome/icons/default/seamonkey.png
Type=Application
Categories=Network;WebBrowser;
MimeType=text/html;text/xml;application/xhtml_xml;image/webp;x-scheme-handler/http;x-scheme-handler/https;x-scheme-handler/ftp;
X-Ayatana-Desktop-Shortcuts=NewWindow;NewIncognito

[NewWindow Shortcut Group]
Name=New Window
Name[en]=Nova janela
Name[pt]=Nova janela
Name[pt_BR]=Nova janela
Exec=/opt/mozilla/seamonkey/seamonkey -browser
TargetEnvironment=Unity;Xfce;Gnome;Lxde;Lxqt

[NewIncognito Shortcut Group]
Name=New Incognito Window
Name[en]=New Incognito Window
Name[pt]=Nova janela de navegação anónima
Name[pt_BR]=Nova janela anônima
Exec=/opt/mozilla/seamonkey/seamonkey -private
TargetEnvironment=Unity;Xfce;Gnome;Lxde;Lxqt

[SafeMode Shortcut Group]
Name=New Safe Mode Window
Name[en]=New Safe Mode Window
Name[pt]=Nova janela de navegação em modo seguro
Name[pt_BR]=Nova janela de navegação em modo de segurança
Exec=/opt/mozilla/seamonkey/seamonkey -safe-mode
TargetEnvironment=Unity;Xfce;Gnome;Lxde;Lxqt

...e salve o arquivo. Dentro de /usr/share/applications será então criado o arquivo seamonkey.desktop (a extensão .desktop é obrigatória). Pronto, feche o mousedap / gedit.

A partir daqui é com você: dependendo da sua distribuição, poderá ou não ser possível que o menu do seu sistema identifique esse arquivo seamonkey.desktop que você acabou de criar. Experimente reiniciar seu ambiente gráfico (efetuar logoff e novo login) ou mesmo reiniciar seu computador, para ver se após o boot o seu sistema passará a identificar esse novo arquivo. Se o SeaMonkey não aparecer no menu ou painel do seu ambiente gráfico, tente encontrar esse arquivo nos menus procurando por seamonkey e usando o editor de menus / editor de painéis do seu ambiente.
« Última modificação: 02 de Abril de 2015, 19:34 por Sampayu »
Yuri Sucupira ("Sampayu")

Offline Sampayu

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 427
  • "Não é possível semear de mãos fechadas"
    • Ver perfil
    • YouTube
[Tutorial] - SEÇÃO 3: Desinstalar o SeaMonkey
« Resposta #3 Online: 16 de Janeiro de 2015, 17:10 »
3.1) EXCLUA A PASTA DO SEAMONKEY
Como o SeaMonkey nada mais é que uma coletânea de arquivos (bibliotecas, binários executáveis, ícones etc.) e pastas, todos armazenados dentro da pasta seamonkey que você pôs dentro de /opt/mozilla, a desinstalação do SeaMonkey consiste essencialmente em excluir a pasta dele, ou seja, excluir a pasta seamonkey. Se quiser fazer isso, entre no terminal do shell e execute este comando:

Código: [Selecionar]
sudo rm -r /opt/mozilla/seamonkey
Se porventura o comando for interrompido antes que sua execução esteja concluída, você pode forçar a exclusão usando este comando mais drástico:

Código: [Selecionar]
sudo rm -rf /opt/mozilla/seamonkey
Importante: se você estiver excluindo o SeaMonkey porque vai instalar o tarball de uma outra versão (provavelmente mais recente) dele, o procedimento de instalação acaba aqui, ou seja, não execute o item 3.2, caso contrário você vai excluir todas as suas configurações personalizadas que estão no SeaMonkey (inclusive seus favoritos)!

3.2) EXCLUA A PASTA DO SEU PERFIL NO SEAMONKEY E TAMBÉM OS ATALHOS
Antes de qualquer outra coisa: faça backup dos seus favoritos. Embora o SeaMonkey esteja integrado ao Sync, sempre é bom ter uma garantia, portanto nada melhor que um backup. No SeaMonkey, uma das maneiras de acessar o Gerenciador de Favoritos (Bookmarks Manager) é usar a combinação de teclas Ctrl B. Daí você pode ir ao menu Tools (Ferramentas), clicar em Backup... e salvar um backup em formato JSON. Após isso também é recomendável retornar ao menu Tools (Ferramentas) e exportar seus favoritos na forma de um arquivo HTML. O backup JSON é preferível, mas se algo der errado com o JSON você terá o HTML.

Fez o backup dos seus favoritos? Ok, então vamos prosseguir...

Como visto anteriormente, o item 3.1 serve para você excluir os arquivos do SeaMonkey. No entanto, na primeira vez em que você executou o SeaMonkey ele acessou a sua pasta pessoal (/home/seu-nome-de-usuário), criou dentro dela a subpasta oculta .mozilla (o ponto antes de mozilla faz com que a pasta fique oculta), em seguida criou dentro de .mozilla a subpasta seamonkey, e então armazenou aí dentro uma série de pastas e arquivos de configuração. Portanto, essa pasta que se encontra em ~/.mozilla/seamonkey é a pasta das suas configurações de "perfil" no SeaMonkey.

SE (E SOMENTE SE) você estiver excluindo o SeaMonkey permanentemente, ou seja, caso você não esteja desinstalando o SeaMonkey só para instalar uma versão mais nova, então execute este comando, no terminal do shell, para poder excluir a pasta do seu perfil no SeaMonkey:

Código: [Selecionar]
sudo rm -r ~/.mozilla/seamonkey
O comando acima vai funcionar. De qualquer modo, se porventura ele for interrompido antes da conclusão, você pode executar o seguinte comando para forçar a exclusão da pasta:

Código: [Selecionar]
sudo rm -rf ~/.mozilla/seamonkey
Caso você tenha criado o atalho que é mencionado no subitem 2.1.1, retorne ao terminal do shell e então execute o comando abaixo, para excluir o atalho:

Código: [Selecionar]
sudo rm /usr/bin/seamonkey
Caso você tenha criado o arquivo seamonkey.desktop que é mencionado no subitem 2.3, retorne ao terminal do shell e então execute o comando abaixo, para excluir o arquivo:

Código: [Selecionar]
sudo rm /usr/share/applications/seamonkey.desktop
Pronto: você desinstalou completamente o SeaMonkey. :'(
« Última modificação: 12 de Abril de 2015, 11:18 por Sampayu »
Yuri Sucupira ("Sampayu")

Offline Sampayu

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 427
  • "Não é possível semear de mãos fechadas"
    • Ver perfil
    • YouTube
[Tutorial] - SEÇÃO 4: Atualizar o SeaMonkey
« Resposta #4 Online: 16 de Janeiro de 2015, 17:11 »
Para atualizar o SeaMonkey você só precisa fazer duas coisas:

4.1) Acessar a Seção 3 para então executar o (mas somente o) item 3.1; e

4.2) Executar os comandos da Seção 1, exceto o item 1.4.

Observações:
  • O item 3.2 do tutorial NÃO pode ser executado, porque se você está apenas atualizando o SeaMonkey então isso significa que você não quer perder suas configurações personalizadas, seus favoritos etc. No entanto, caso execute o item 3.2 você excluirá sua pasta de perfil SeaMonkey, e com ela serão excluídas todas as suas preferências.
  • O item 1.4 não precisa ser executado porque a função dele é criar o caminho /opt/mozilla, porém o procedimento de desinstalação que você executou não excluiu o caminho /opt/mozilla. Como o caminho já existe, executar o item 1.4 é inútil e não surtirá efeito prático nenhum.
« Última modificação: 12 de Abril de 2015, 11:16 por Sampayu »
Yuri Sucupira ("Sampayu")

Offline Sampayu

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 427
  • "Não é possível semear de mãos fechadas"
    • Ver perfil
    • YouTube
[Tutorial] - SEÇÃO 5: Troubleshooting (resolução de problemas)
« Resposta #5 Online: 16 de Janeiro de 2015, 17:11 »
(17/01/2015): até o momento não foram detectados problemas passíveis de troubleshooting.
« Última modificação: 17 de Janeiro de 2015, 01:22 por Sampayu »
Yuri Sucupira ("Sampayu")

Offline JoseRoberto

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 3
    • Ver perfil
Re: [Tutorial] Instalar o Mozilla SeaMonkey no Linux
« Resposta #6 Online: 09 de Fevereiro de 2015, 17:41 »
Caro Sampayo, fiz todo o procedimento, mas o Seamonkey não abre e surge a seguinte mensagem:

XPCOMGlueLoad error for file /opt/mozilla/seamonkey/libxul.so:
libasound.so.2: cannot open shared object file: No such file or directory
Couldn't load XPCOM.

Utilizo o Ubuntu 12.04.5 64 bits

Offline Sampayu

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 427
  • "Não é possível semear de mãos fechadas"
    • Ver perfil
    • YouTube
Re: [Tutorial] Instalar o Mozilla SeaMonkey no Linux
« Resposta #7 Online: 09 de Fevereiro de 2015, 20:24 »
Caro Sampayo, fiz todo o procedimento, mas o Seamonkey não abre e surge a seguinte mensagem:

XPCOMGlueLoad error for file /opt/mozilla/seamonkey/libxul.so:
libasound.so.2: cannot open shared object file: No such file or directory
Couldn't load XPCOM.

Utilizo o Ubuntu 12.04.5 64 bits

O XPCOM, que é um componente do SeaMonkey, tentou inicializar uma biblioteca compartilhada de áudio denominada libasound.so.2 (esse é o nome do arquivo que contém os objetos da biblioteca), porém esse arquivo não foi encontrado no seu sistema, daí o erro. Experimente executar este comando, para instalar a biblioteca e também os plugins dela, e após a instalação tente novamente executar o SeaMonkey:

Código: [Selecionar]
sudo apt-get install libasound2:i386 libasound2-plugins:i386
O comando acima é somente para sistemas de 64 bits. Como outras pessoas podem vir a ler este post e estar com o mesmo problema, a seguir vou postar o comando respectivo para sistemas de 32 bits:

Código: [Selecionar]
sudo apt-get install libasound2 libasound2-plugins
Yuri Sucupira ("Sampayu")