Autor Tópico: Uma década perdida pela poderosa Microsoft  (Lida 19277 vezes)

Willder

  • Visitante
Re: Uma década perdida pela poderosa Microsoft
« Resposta #30 Online: 20 de Janeiro de 2013, 14:28 »
Sempre achei que inovação nunca foi um dos pontos fortes da Microsoft, a cada lançamento de Windows vem aquele bando de fanboys falando sobre o Windows que “vai mudar tudo”, e como sempre todo Windows é Windows.

Ai vem à onda Apple e para não ficar para trás a Microsoft lança ele... o Windows 8. Sinceramente, o sistema é uma mistura estranha de duas interfaces, e interfaces feias, ainda por cima.

Talvez quem elogia não tenha notado que dá para ouvir músicas pelo Windows Media Player ou pelo Player da nova interface (e que eles tocam músicas distintas ao mesmo tempo), que o Chrome da interface “Metro” (ou seja lá como diabos chamam ela agora) é distinto da interface clássica, que o sistema diz “toque” em um PC Desktop que não tem touch screen, etc., ou seja um mistura estranha em uma interface feia.

Querem saber, eu estou adorando ver ela se estraçalhar. Eu espero realmente que o Ubuntu tenha uma chance de crescer, mas se não crescer, talvez possa até acabar*, pois não haverá chance melhor que essa.

*Lembrando que a Canonical é uma empresa e por isso não é interessante para ela manter um sistema que detém impressionantes 1% de marketshare.

eliseu_carvalho

  • Visitante
Re: Uma década perdida pela poderosa Microsoft
« Resposta #31 Online: 20 de Janeiro de 2013, 14:32 »
a cada lançamento de Windows vem aquele bando de fanboys falando sobre o Windows que “vai mudar tudo

Ah, o Meio Bit... Sempre falando besteira...

Eu espero realmente que o Ubuntu tenha uma chance de crescer, mas se não crescer, talvez possa até acabar

Te digo uma coisa: não vai acabar. Olha só isso:

https://wiki.ubuntu.com/PrecisePangolin/ReleaseSchedule
« Última modificação: 20 de Janeiro de 2013, 14:35 por eliseu_carvalho »

Willder

  • Visitante
Re: Uma década perdida pela poderosa Microsoft
« Resposta #32 Online: 20 de Janeiro de 2013, 14:45 »
a cada lançamento de Windows vem aquele bando de fanboys falando sobre o Windows que “vai mudar tudo

Ah, o Meio Bit... Sempre falando besteira...

Eu espero realmente que o Ubuntu tenha uma chance de crescer, mas se não crescer, talvez possa até acabar

Te digo uma coisa: não vai acabar. Olha só isso:

https://wiki.ubuntu.com/PrecisePangolin/ReleaseSchedule
Eu não disse que ele vai acabar, nem quero isso, mas disse que para a Canonical, como empresa, talvez seja melhor acabar que continuar com um marketshare tão baixo. Sinceramente, acabaria para mim também, pois eu não consigo ver programas e jogos sendo lançados para um sistema operacional que tão poucos usam e esses programas e jogos são a base que mantém meu computador.

Preciso de um sistema cool :P

eliseu_carvalho

  • Visitante
Re: Uma década perdida pela poderosa Microsoft
« Resposta #33 Online: 20 de Janeiro de 2013, 14:57 »
Bom, pelo menos a Canonical é uma empresa que não tem como único objetivo o lucro imediato. E mesmo que o marketshare seja de 0,05%, não importa.
Aliás, o objetivo de qualquer Linux não é de maneira alguma concorrer com outros sistemas operacionais, mas oferecer alternativas. E o Ubuntu é somente uma delas.

Willder

  • Visitante
Re: Uma década perdida pela poderosa Microsoft
« Resposta #34 Online: 20 de Janeiro de 2013, 15:28 »
Citar
“Steve Ballmer tem um talento especial para falar besteiras e acabar parecendo um idiota [...]

Eles nunca foram tão ambiciosos em relação aos produtos como deveriam ser. Bill gosta de dizer que é o homem dos produtos, mas na verdade não é. Ele é um homem de negócios. Conquistar novos negócios era mais importante do que fabricar excelentes produtos. A Microsoft nunca teve as ciências humanas e as artes no seu DNA."

Eu já agradeci ao nomade por indicar essa excelente leitura?
« Última modificação: 20 de Janeiro de 2013, 15:32 por Willder »

Offline Henrique1977

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 236
    • Ver perfil
Re: Uma década perdida pela poderosa Microsoft
« Resposta #35 Online: 20 de Janeiro de 2013, 18:04 »
Ontem eu resolvi dar uma olhada no artigo. Não li tudo porque já era tarde da noite e eu tava bem cansado, mas pelo que entendi, parece que tá tendo muita politicagem na Microsoft, e não é de hoje.
Caro  Eliseu,  eu  li  todo  o  Artigo,  e  segundo  o  artigo  está  havendo  toda  uma  politicagem  desde  o  final  da  década  de  90.  A  burocracia  aumentou,  e  segundo  o  próprio  artigo  ja  não  era  mais  pensando  na  qualidade  dos  produtos,  mas  cada  um  tinha  que  trabalhar  buscando  ser  melhor  que  os  demais  funcionários  para  não  ser  despedido. Quem  não  se  saísse  melhor  era  demitido,  e  muitos  nessa  briga  e  disputa  para  se  manterem  na  empresa  faziam  de  tudo  para  prejudicarem  os  concorrentes.
Eis  aí  um  exemplo  a  não  ser  seguido.  É  importante  essa  história,  para  que  no  mundo  linux  não  se  cometa  o  mesmo  erro.  Politicagem  e  um  querer  ser  mais  que  o  outro  acaba  prejudicando  a  qualidade  de  um  produto,  E  se  isso  ocorrer  no  mundo  linux, a  qualidade  será  prejudicada.  Que  isto  nos  sirva  de  lição!
Atenciosamente,  Henrique1977.
"O Estado não é a solução, é o problema.  Ronald Reagan"
Você  que  é  iniciante  não  esqueça  de  ler  isso:  http://ubuntuforum-br.org/index.php/topic,90314.0.html

Offline Carlos Ivan

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 173
  • Jesus te ama!
    • Ver perfil
Re: Uma década perdida pela poderosa Microsoft
« Resposta #36 Online: 24 de Janeiro de 2013, 23:01 »
Nomade, excelente tópico, repleto de informações que muitos aqui, inclusive eu, não tínhamos conhecimento.

O tópico se refere à informação tecnológica, pouco importando se é sobre a ms ou qualquer outra.

D+ e

T+
No mundo existem 3 tipos de pessoas: os idiotas, os inteligentes e os sábios.
Os idiotas não aprendem nunca, os inteligentes aprendem com a própria experiência e os sábios aprendem com a experiência dos outros.

eliseu_carvalho

  • Visitante
Re: Uma década perdida pela poderosa Microsoft
« Resposta #37 Online: 24 de Janeiro de 2013, 23:12 »
Agora sim eu tive tempo para ler todo o artigo, do começo ao fim.
Realmente... A Microsoft, achando que seria sempre, eternamente, a nº 1 do mundo em software, caiu, e muito. E a queda não começou ontem.
Podemos ver isso no próprio Windows. O 95 estava presente em quase 100% dos PCs do mundo, isso lá em meados dos anos 90. O 98, idem. Aí a coisa começou a degringolar com o Me, quando os usuários reclamaram muito - e com razão, pois o sistema era muito instável. Lembro que um parente, naquela época, comprou um PC com Windows ME, achando que era uma coisa "maravilhosa" (a propósito, era um Compaq Presario, que já veio de fábrica com o Windows Me pré-instalado). O sistema não durou dois dias naquela máquina, ele pôs o 98 no lugar - pirata, mas pelo menos funcionava melhor. Eu tinha começado a testar distribuições Linux e inclusive cheguei a sugerir o Conectiva para ele, a fim de evitar a pirataria, mas ele acabou ficando com o Windows 98 mesmo.
Se o Windows Me foi uma droga, podemos dizer que o Windows XP foi tipo a "salvação da lavoura", pelo menos quando foi lançado, lá em 2001. Mas o que era "inovação" naquela época? Somente a troca do FAT32 pelo NTFS e um visual mais "bonitinho" (que eu, pessoalmente, não gostava nem um pouco). O sistema ficou meio que "congelado", só recebendo atualizações de tempos em tempos. Foi um SO longevo, duradouro, mas nada nessa vida é para sempre - nem a própria vida. Vieram a Apple lançando o iPod, depois o iPhone e o iPad; a chegada do Android e, com isso, o surgimento dos tablets mais populares; e a Microsoft, com o quê mesmo? Nada. Tudo o que foi lançado pela empresa nessa época era mera cópia do que já tinha sido lançada pelas concorrentes tempos atrás - digo, em termos de conceito. Provas: o Zune copiava o mesmo conceito do iPod, um tocador de música portátil; o Bing queria imitar o Google como site de pesquisa; o XBox veio para concorrer com o PlayStation como console de jogos; etc. Os consumidores de tecnologia sempre procuram novidades, e a Microsoft estava parada no tempo, ou então indo na onda das concorrentes e copiando qualquer coisa que era lançada pelas mesmas.
Aí veio o Windows Vista. Se o Me já foi uma coisa terrível na época dele (2000), o Vista foi algo ainda pior. Uma tremenda decepção; o pessoal que comprou PCs e notebooks com Windows Vista logo partia para o XP mesmo - e os que se sentiam mais seguros partiam para distribuições Linux (inclusive podemos dizer que muito do atual crescimento do percentual de máquinas executando sistemas Linux vem da decepção dos usuários de Windows com o furado lançamento do Vista). Como se sabe, o Windows Vista era extremamente pesado. O Windows 7 chegou meio que às pressas para corrigir os problemas do Vista, mas não adiantava mais. Atualmente muitos usuários do Windows ainda preferem o XP em detrimento ao 7, mesmo que o XP já seja considerado um SO obsoleto, a exemplo dos seus antecessores.
Então, chegou o Windows 8, que esculhambou com tudo mesmo. Mudanças que deveriam ser graduais foram colocadas quase que todas ao mesmo tempo - mal e porcamente ainda - o que me faz pensar que muitos usuários, acostumados com o design clássico de ícones e barra de tarefas, não souberam mais usar seus PCs. Aliás, me parece que a empresa pensou que não haveriam mais PCs, nem notebooks, nem netbooks - somente tablets. O que não é verdade. Além do mais, mesmo que o sistema tenha sido pensado para o uso em tablets, esse mercado está praticamente dividido somente entre o Android e o iOS, e quem usa seus tablets com esses sistemas muito provavelmente nunca os trocaria por um Windows.
Será que o próximo Windows vai sair na urgência, a exemplo do 7 em relação ao Vista? Seria esse o último suspiro da Microsoft no que se diz respeito a sistemas operacionais?
Não me espanta se dentro de alguns anos vermos estampada nas capas da grande maioria das publicações dedicadas à economia e aos negócios a manchete "Decretada falência da Microsoft".
É uma pena, pois enquanto um bocado de empresas consideradas "muito pequenas" cresceram, com novas ideias, conquistando mais e mais clientes, trabalhando em prol do avanço tecnológico, e ainda, com gente jovem mostrando seu talento, a Microsoft foi vítima de um sistema hierárquico cristalizado, o que foi refletido na falta de inovação dos seus produtos. Membros dos altos escalões - incluindo o presidente Ballmer - atrofiaram a empresa, tornando-a um fardo imenso e dormente. Quando acordaram e perceberam que o mundo inteiro havia mudado, já era tarde demais.
« Última modificação: 25 de Janeiro de 2013, 16:28 por eliseu_carvalho »

Offline Renan Borges

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 71
  • Quem sabe cala.. Quem não sabe é o que mais fala.
    • Ver perfil
Re: Uma década perdida pela poderosa Microsoft
« Resposta #38 Online: 24 de Janeiro de 2013, 23:38 »
Citar
Seria esse o último suspiro da Microsoft no que se diz respeito a sistemas operacionais?

Não mesmo.... enquanto tiverem pessoas com "preguiça de pensar" teremos usuarios de Windows sustentando seus lucros.... alias, Windows 8 esta sendo considerado dificil para esse perfil de usuario porem ainda é comodo aprende-lo e aprenderam como ja aconteceu antes....
Dificuldades???  temos isto no linux estou com ele porque adoro desafios!
Profissional de TI , Formado em Banco de Dados, 5 anos de experiencia em suporte Tecnico Windows e Linux.

Para mim, passar o conhecimento que possuo e uma grande satisfação !!!

eliseu_carvalho

  • Visitante
Re: Uma década perdida pela poderosa Microsoft
« Resposta #39 Online: 25 de Janeiro de 2013, 01:11 »
Renan, como já foi dito aqui no tópico, as pessoas não gostam de mudanças radicais. O que foi o estardalhaço quando o Ubuntu passou a contar com a interface Unity? Muitos antigos usuários, acostumados ao velho ambiente gráfico de painéis, ou abandonaram o sistema, ou não atualizaram - e tem quem use o 10.04 até hoje. Passados quase dois anos, o impacto inicial diminuiu bastante, a interface amadureceu e atualmente o Ubuntu conquista muitos novos usuários quase que exclusivamente pelo visual, mais que qualquer outro fator. Porém, ainda existe muita resistência por parte de alguns usuários de versões anteriores do sistema - é é o que vem acontecendo com quem usava Windows XP e 7 e se deparou com uma coisa totalmente diferente, o Windows 8. A interface dele é considerada muito difícil, exatamente porque o pessoal já está acostumado há muito tempo com o modelo tradicional, com barra de tarefas, menu Iniciar e os ícones na área de trabalho.
Muito embora os consumidores mais vorazes de tecnologia - os chamados "geeks" - adorem novidades, os usuários comuns de PC, em sua maioria, ficam perdidos com mudanças tão drásticas. Falo de gente que usa o PC no dia-a-dia, para acessar a Internet, digitar documentos e tudo o mais, não de usuários avançados e/ou cientes das novas tendências, que em geral se adaptam mais rapidamente às mudanças.
« Última modificação: 25 de Janeiro de 2013, 16:40 por eliseu_carvalho »