Autor Tópico: Eu, o Linux e a capilarização da idéia.  (Lida 2732 vezes)

Offline jrvolkov

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 14
    • Ver perfil
Eu, o Linux e a capilarização da idéia.
« Online: 14 de Janeiro de 2010, 13:18 »
Champs,

Tem muito tempo que eu não passo aqui no fórum, não quer dizer que aprendi tudo (longe disso), nem que esqueci de vocês.

Vim hoje aqui pra criar um tópico sobre o Xfce (que to começando a usar) e pra fazer o meu depoimento.

Bem eu usei a primeira vez o linux em 2003 ou 2004, não me lembro bem. Sei que foi o Kurumin. Eu achava ele estupendo, pois eu tinha um Athlom XP 1100+, 128MB Ram e 40GB de HD (depois 80) que zunia pra rodar o Windows, mas que rodava o linux numa leveza... Em 2004 ou 2005 eu conheci o Ubuntu, numa das primeiras versões (se não foi a primeira...). Um amigo chegou lá em casa com alguns CD's originais e me mostrou eu ja puz o live-cd e testei, achei meio amarelão, mas gostei. Ele era mais rapido do que tudo que eu conhecia (!).

De lá pra cá eu comecei um trabalho de convencimento. Convencer o povo da minha casa de que eu sabia do que tava falando e de que o Windows era ruim. Enquanto tivemos Desktop em casa eu não consegui.

Em novembro de 2008 eu comprei um PC novo, vendi o desk e comprei um Vaio. Veio com o windows e eu usei o Windows Vista nele de 2008 até fevereiro de 2009, quando me cansei, já estava pesquisando qual distro usar e como usar. Eu ia ficar com uma distro brasileira (Resulinux), mas quando instalei o meu monitor não foi reconhecido e a resolução máxima era de 1024x768, sendo que minha tela tem resolução de 1280x800. Resolvi testar o Ubuntu. Resultado: Perfeito. Resolvi instalar: instalou tudo e reconheceu tudo, não tive problemas com o hardware do PC (apenas com o modem da internet 3G, que não uso mais...).

Hoje eu uso o Ubuntu Karmic Koala (9.10) e da mesma forma reconheceu tudo. Tenho um iPod 160GB (6ªg) que também roda aqui de boa e funciona mt bem.

A capilarização consiste em meu cunhado tem um pc novo (AMD Athlom X2 2.86ghz, 4GB de Ram, 500GB de HD, 1GB de Video Nvidia, Monitor AOC 22") rodando Debian GNU/Linux que ele escolheu, com slackware e com Windows7.

Meu pai vai comprar uma maquina nova e vai colocar Linux nela também. Vai ser o Ubuntu 10.04, creio eu.

Os amigos e amigas da minha irmã quando vêem meu PC rodando com Linux (que eles acham mais bonito que o windows) pedem pra eu instalar e talz.

Mundo livre vem aí, viva o Free Software e os em Open Source também.

Saudações,

HáBraços.

Volkov.
“Como exprimem a sua vida, assim os indivíduos são” (Karl Marx, A Ideologia Alemã)

Offline pjunior

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 39
    • Ver perfil
Re: Eu, o Linux e a capilarização da idéia.
« Resposta #1 Online: 16 de Janeiro de 2010, 16:01 »
Olá

que bom que na tua familia estão começando a usar linux, isso é bom
e quem sabe um dia o linux alcançe os 100% de usuarios, mas ainda vai
demorar um pouco.

Offline velox256

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 1.915
  • Debian é Debian... :)
    • Ver perfil
    • Linux Inside
Re: Eu, o Linux e a capilarização da idéia.
« Resposta #2 Online: 16 de Janeiro de 2010, 17:11 »
"Ver funcionar" não significa que o usuário vá se adaptar ou usar o sistema em todo o seu potencial, mesmo que na forma de usuário dito 'comum'; é necessário que o mesmo se solte das amarras do quase onipotente e onipresente Windows, qualidades que o Windows conseguiu - usando boas e más técnicas comerciais e de distribuição. Vemos erros de usuários novos que cismam em comparar Linux com Windows, dizendo que 'no Windows não é assim ou assado', ou que 'no windows não tem isso ou aquilo', sempre usando (ou tendo) como fator de comparação (ainda mais as dificuldades) a 'fassilidade' (atenção, escrevi facilidade errado mesmo para grifar a idéia seguinte...) com que tudo pode ser feito no Windows, da instalação ao uso, passando pelas contaminações de sempre (hehehehe...) e outras coisinhas às que já estamos acostumados.

O usuário tem que aprender a usar minimamente o sistema e também a procurar na internet por soluções para os eventuais problemas. Não é possível que no primeiro sinal de defeito no Linux digam que "o sistema é uma droga" e qdo isso acontece no Windows não há a mesma bronca, como se problemas já fossem esperados no Windows e assim parecem passar "a mão na cabeça" como se fosse uma criança malcriada que todos perdoam...
Computador perereca, com disco perereca, monitor perereca e sistema super xuxu. Visitem a minha página em http://sidserra.k6.com.br ou meu blog em http://sidserra.blogspot.com.br.