Autor Tópico: Experiências de um usuário rumo ao Linux  (Lida 12041 vezes)

Offline rogeriocal

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 20
    • Ver perfil
Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Online: 08 de Dezembro de 2009, 14:09 »
Senhores,

Vou narrar aqui toda a minha longa odisséia em direção ao Linux. Digo odisséia não pelas dificuldades, mas pelo tempo transcorrido. Será um relato um tanto impreciso pela falta de confiabilidade da minha memória, mas que acho válido para que os usuários mais experientes e que muitas vezes são profissionais da área de TI possam conhecer o lado do usuário leigo. Sou economista e uso a informática como um meio e não como fim. Por isso, o que importa pra mim são as funcionalidades e se atende as minhas necessidades e não as vantagens técnicas de um ou outro SO em relação ao concorrente.

Meu primeiro computador foi um 486 DLC com Windows for Workgroups. Depois vieram um 486 DX2 66 MHz com um Windows que eu nem lembro mais qual era e um Pentium MMX 133Mhz com Windows 95. Foi nessa época que fiquei sabendo que existia um sistema operacional gratuíto que poderia ser um substituto do Windows. Como o Pentium MMX que eu possuía já tinha sido comprado em uma grande loja (o saudoso Mappin), o meu Windows já estava pago e eu não via muito sentido em trocar um sistema operacional que me atendia muito bem e que já havia sido pago por um outro sobre o qual eu nada sabia e ainda envolveria um procedimento de instalação do sistema, o que era muito obscuro para mim. Nessa mesma época conheci um advogado que, apesar de não ser da área de TI, demonstrava ser um entusiasta da área e sempre que nos encontrávamos ele contava orgulhoso suas conquistas no mundo Linux. "Hoje consegui fazer funcionar a placa de som! Agora só falta o modem para eu poder me livrar de vez daquela *&#*"# do Windows!". Isso só reforçou minha convicção de que tal sistema não servia para mim. Depois de instalar ainda tinha que ficar dias e dias pesquisando na internet para colocar a placa de som, o modem e sabe-se mais o que para funcionar? Ah, não! Não dá pra mim! Como disse, a informática para mim é um meio e não um fim e não estava disposto a despender todo esse tempo em pesquisa. Mas desde aquela época ficou plantada a sementinha da curiosidade e fiquei também com a convicção de que algum dia iria usar o tal do Linux.

O tempo passou e o meu computador seguinte foi um Celeron 300 MHz, todo montado por mim. Nessa época eu estava interessado em informática, lia bastante sobre e tive vontade de montar um computador. Como bom usuário leigo e medroso, comprei um livro enorme que ensinava passo-a-passo como montar um computador, com todos os detalhes, desde os parafusos usados até a instalação do sistema operacional. E qual era as opções para o SO? O Windows 95 e o Windows 98. Claro que medroso como era, não me arriscaria a fazer qualquer coisa de diferente do que o livro ensinava. Comprei o Windows 98, instalei e toquei a vida.

O próximo foi um Athlon XP 2200+ com windows XP. Nessa época já tinha passado a minha fase de hobbysta de informática e não me interessei em montar o computador. Na verdade comprei de emergência. Faltava uma semana para entregar minha tese de mestrado e o computador morreu. Peguei o computador e levei para a única loja de informática da cidade (na época estava morando em uma pequena cidade do interior do Paraná). Contei a estória e disse que só compraria o computador se pudessem colocar o HD do falecido computador no novo que eu estava comprando. No desespero de entregar a tese não me importei que o Windows XP que o computador que eu estava comprando não era oficial. Passado a semana crítica, tese defendida e mestrado completado, achei que seria a oportunidade ideal para experimentar o Linux. Afinal não queria ficar na ilegalidade. Escolhi o Kurumim, aproveitando o fato de que este rodava direto do CD, sem precisar instalar no HD. Assim poderia testar o sistema e ainda teria uma segurança de continuar com o Windows caso alguma coisa não funcionasse ou eu não conseguisse usar o sistema. A minha primeira experiência foi muito boa. Achei o sistema bonito, fácil de usar e recheado de programas. E tudo de graça! Até a internet funcionava, o que era um problemão na época para computadores que usavam modens on-board, como era o caso do meu. O Kurumim tinha uns scripts que faziam funcionar o modem. Como exatamente eu não sei, mas funcionava. Bastava escolher o modelo do meu modem de um lista que existia. Aí o tal do script rodava e o modem conectava. Ousando um pouco mais, instalei o Linux em dual boot com o Windows XP que já existia. Usei assim por um tempo até perceber que acabava usando quase sempre o Windows por comodismo, já que tinha minhas dificuldades com o Kurumim por falta de costume com o sistema. Assim tirei o Windows e instalei o Kurumim sozinho no HD. Assim me forçaria a usar o Kurumim e aos poucos aprenderia todos os seus macetes. Porém... sempre tem um porém... Minha esposa já usava o computador também e ficou uma fera ao ver que não tinha mais a opção de iniciar com o Windows. Consegui acalmar a fera e mostrar que ela poderia usar o Kurumim. O uso dela se limitava a ler uns blogs na internet e claro que eu pensava que não haveria problema quanto a isso. Ledo engano... dos cerca de 12 blogs que ela lia, um deles, apenas um, tinha problemas com o Firefox. A página ficava toda zoada e os textos ficavam por cima das fotos. Pesquisei sobre o problema e a resposta que consegui é que isso era problema de programação da página. Que esta não seguia os padrões internacionais e a única forma de resolver o problema era instalar o Internet Explorer. Não lembro agora se era usando o Wine ou instalando o Windows em uma máquina virtual. De qualquer forma, precisaria comprar uma licença do Windows, justamente o que eu queria evitar. Até tentei convencer a fera a desistir daquele blog. Afinal, era apenas um entre 12. Ela até desistiu mas quando aconteceu a mesma coisa com outro que ela queria acompanhar aí não teve jeito. E já que eu teria que gastar com Windows, por que continuar com o Linux? Então voltei com o Windows XP.

Mais um tempo transcorrido e compramos um computador para a família, afinal o meu filho mais velho já tinha idade para começar a usar computador e internet. Comprei um Positivo Celeron, 1 GB de memória que veio com Windows Vista Starter. Nesse nem pus a mão. Era para uso da família e assim ficou. E o Athlon velho de guerra ficou para uso exclusivo meu. E aí pensei... é agora! Vou instalar o Linux e aprender a usar esse negócio. Mas muito tempo havia passado e muita coisa havia mudado... para pior no meu caso. O Kurumin havia sido descontinuado (pelo menos foi o que entendi) e o Atlhon XP quebrou o conector de vídeo da placa-mãe e eu, para não ter que comprar outro computador ou outra placa-mãe, instalei nele a placa de vídeo que estava naquele computador Celeron 300 MHz que eu havia montado (lembram dele?). Uma poderosa placa de vídeo PCI com 4 MB de memória. No Windows até que funcionava razoável. A rolagem das telas ficava engasgada, mas usável e eu até jogava uns joguinhos em flash on-line. Escolhi o Mandriva KDE e para minha decepção, qualquer movimento do mouse provocava um monte de chuviscos na tela e os joguinhos Flash viraram um sucessão de slides. Caramba!!! Sempre pensei que o Linux fosse mais eficiente! Por que o Windows XP consegue melhor desempenho que o Linux com minha placa de vídeo capenga? Enfim... voltei com o XP.

E finalmente, chegamos no presente... Aposentei meu velho Atlhon XP 2200+, 256 MB de memória, 20 GB de HD e placa de vídeo legada de um antigo Celeron 300 MHz e comprei um notebook Gigabyte Core 2 Duo, 4 GB de memória e 260 GB de HD. Bela evolução, não? Ironicamente, quando estava escolhendo o notebook, todas as opções eram com Linux, pois não estava disposto a pagar muito e sempre olhava os modelos mais baratos, menos esse. O meu notebook era o único que vinha com Windows Vista e ainda assim tinha um preço no mesmo patamar dos outros. Continuaria com o Vista se o fabricante não fizesse o pouco caso de instalar uma versão do Vista de 32 bits e, consequentemente, o notebook só podia trabalhar com 3 GB. Eu é que não iria ficar com um notebook com 4 GB só podendo usar 3 GB. Sei que posso pedir a versão de 64 bits do Vista para a Microsoft, mas já que eu estava disposto a usar o Linux, instalei o Ubuntu 64 bits e há estou usando-o há cerca de 20 dias.

Minhas impressões: está muito melhor em relação ao antigo Kurumin que usei por um tempinho, mas ainda tenho algumas dificuldades.

-De início, não funcionava o Flash. A instalação do flash foi automática através do próprio Firefox, mas estranhamente algumas coisas funcionam, outra não. Exemplo: vídeos no YouTube funcionam normalmente. A página da Adobe também indica que o Flash está instalado corretamente e a animação funciona, mas as charges do site www.charges.com.br não rodam. A imagem aparece, como se tudo estivesse normal, mas ao dar "Play", nada acontece.

- O acesso aos bancos não funcionava, mas um colega do trabalho instalou algumas coisas que eu não sei o que são e agora está funcionando. Agora está ok, mas o processo não foi como deveria ser. Instalei a máquina virtual Java, mas mesmo assim não funcionava. Esse meu colega que resolveu o problema também estranhou e não foi de bate-pronto. Teve que dar uma pesquisadinha na internet.

- Áudios dentro de páginas também tiveram um comportamento estranho. Os áudios da CBN Campinas (www.cbncampinas.com.br) funcionavam normalmente, mas não os da CBN (www.cbn.com.br). E aparentemente, o plugin requisitado era o mesmo. Novamente meu colega engenheiro resolveu, mas também não sei como.

- O microfone funciona normalmente no Skype e a webcam também, mas um curso virtual que fiz que se utiliza do Firefox para a interação não conseguiu ativar a webcam nem o microfone. Resultado: fiquei sem poder perguntar através de som e também não era visto pelos demais participantes. Farei outros cursos pela mesma plataforma e até agora não consegui resolver o problema.

- Após tanto tempo das minha frustada experiência com o blog que minha esposa lia, ainda existem problemas em páginas da internet. O site www.exame.com.br, por exemplo, fica um pouco zoado. Pouca coisa, mas há alguns probleminhas. Estranhamente, o mesmo Firefox abre a mesma página perfeitamente quando é a versão Windows.

Mas dessa vez vim para ficar...
« Última modificação: 08 de Dezembro de 2009, 20:18 por rogeriocal »

Offline NPC

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 230
  • Bot
    • Ver perfil
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #1 Online: 08 de Dezembro de 2009, 16:47 »
Woh... li tudo. Belo relato.

Acredito que essas incompatibilidades serão sanadas com o tempo (em pouco tempo)... não pelo linux (que é inocente) mas pelo próprio mercado. Como esses sites que não funcionam no firefox, ou bancos que não homologaram o java 64bits do linux.

E falando nisso, aqui consigo abrir o charges.com.br sem problemas (64bits também). A página da exame quando abri tava bagunçada, mas era por culpa do addon NoScript do firefox. Assim que liberei a pagina com o noscript, ficou normal.

Se o seu banco for o banco do brasil, por favor pergunte ao seu amigo o que ele fez.
Googling since 1999.

Offline Ioca100

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 2.848
  • Rio,Brasil
    • Ver perfil
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #2 Online: 08 de Dezembro de 2009, 20:04 »

Bem, você já está com o 64 bits, aqui estou com o de 32 e todos esses sites funcionam normalmente , estou ouvindo a CBN Campinas pelo Google Chrome beta.
Dá uma olhada:   http://ubuntuforum-br.org/index.php/topic,60228.0.html
Usuário Linux- 449417

Offline rogeriocal

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 20
    • Ver perfil
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #3 Online: 08 de Dezembro de 2009, 22:54 »
Citar
E falando nisso, aqui consigo abrir o charges.com.br sem problemas (64bits também)

Aqui a charge carrega normalmente (com o indicador de porcentagem crescendo) e o desenho inicial, mas não roda quando clico no Play.

Citar
Se o seu banco for o banco do brasil, por favor pergunte ao seu amigo o que ele fez.

É do Banco do Brasil sim. Mas se eu perguntar para ele não vou saber reproduzir aqui a resposta dele. Vou fazer melhor. Vou mostrar esse tópico para ele e pedir que responda diretamente como ele fez.

Citar
todos esses sites funcionam normalmente , estou ouvindo a CBN Campinas pelo Google Chrome beta.

A CBN Campinas sempre funcionou. Era o da CBN (www.cbn.com.br) que não funcionava, mas agora já está funcionando também (mais uma que fico devendo ao meu colega engenheiro)

Offline rogeriocal

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 20
    • Ver perfil
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #4 Online: 09 de Dezembro de 2009, 09:37 »
Sobre acessar o Banco do Brasil, passo a palavara para o meu amigo engenheiro fera em Ubuntu:

"Basta instalat o pacote sun-java6-plugin:

$ sudo apt-get install sun-java6-plugin

Resolve o caso do teclado virtual do BB, bem como qualquer site que se utilize de applets java no browser"

Após essa breve explicação do meu amigo, retomo a palavra para contar um fato curioso e que mostra como é muito relativo essa alegada facilidade de uso do Windows em relação ao Linux. Desde que comprei o notebook tenho-o levado ao trabalho porque me ajuda muito, principalmente quanto tenho que apresentar alguma coisa em outra sala. Pois bem, na sala do dono da empresa tem uma rede wi-fi. Três colegas meus costuma usar notebooks lá: um Dell e um HP com Vista Business e um Lenovo com Vista Premium. Pois nenhum dos três conseguem conectar na rede da sala. A rede é detectada, mas eles não conseguem conectar. O responsável pela rede já mexeu nos notebooks e não conseguiu que eles conectassem. Pois o meu Gigabyte com Ubuntu apenas pediu a senha na primeira vez que usei e desde então é automático assim que ligo o notebook. É ligar e já sair navegando, sem precisar clicar em nada, sem precisar digitar nada, sem precisar acionar nenhum menu. Mais simples e direto, impossível.

E não só nesse caso. São 5 redes que meu notebook se conecta automaticamente. Além deste caso, em mais duas salas da empresa (são redes diferentes), na minha casa e na casa dos meus pais. Em todos elas é só ligar o notebook e sair navegando. Quem disse que Ubuntu não é fácil de usar?
« Última modificação: 09 de Dezembro de 2009, 11:14 por rogeriocal »

Offline Gui_Flux

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 17
    • Ver perfil
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #5 Online: 09 de Dezembro de 2009, 16:40 »
Woh... li tudo. Belo relato.

Acredito que essas incompatibilidades serão sanadas com o tempo (em pouco tempo)... não pelo linux (que é inocente) mas pelo próprio mercado. Como esses sites que não funcionam no firefox, ou bancos que não homologaram o java 64bits do linux.

E falando nisso, aqui consigo abrir o charges.com.br sem problemas (64bits também). A página da exame quando abri tava bagunçada, mas era por culpa do addon NoScript do firefox. Assim que liberei a pagina com o noscript, ficou normal.

Se o seu banco for o banco do brasil, por favor pergunte ao seu amigo o que ele fez.
O problema que acontecia com Java 64-bit era o plugin do navegador, que não existia em nenhum sistema. Mas já fizeram esse plugin e tudo funciona perfeitamente. Desde a versão 9.04 já vem com o Java com o plugin 64-bit.

Offline NPC

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 230
  • Bot
    • Ver perfil
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #6 Online: 09 de Dezembro de 2009, 17:58 »
O problema que acontecia com Java 64-bit era o plugin do navegador, que não existia em nenhum sistema. Mas já fizeram esse plugin e tudo funciona perfeitamente. Desde a versão 9.04 já vem com o Java com o plugin 64-bit.

Isso eu sei, mas o problema que eu tava me referindo é o fato do Banco do Brasil não conseguir identificar o computador com a solução de segurança deles.

O firefox abre o site normal, o java funciona normal, até aparece o teclado virtual deles, mas quando entro na conta o sistema não consegue identificar o computador. É um problema já conhecido, que não tem muito a ver com o java ou com o ubuntu, falta só o BB liberar o acesso.

Tô contornando isso atualmente com o virtualbox e uma versão 32bits do archlinux.
Googling since 1999.

Offline Iuri_VHC

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 38
    • Ver perfil
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #7 Online: 09 de Dezembro de 2009, 23:27 »
isso da um belo filme nao?

interessante sua historia cara,parabens


Offline Cálcio

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 213
  • Ubuntu 14.04
    • Ver perfil
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #8 Online: 13 de Dezembro de 2009, 15:32 »
rogeriocal, li seu post e achei bem bacana sua experiência....

Agora uma dica q pode ajudar na conexao no Wi-fi nos Windows é a seguinte, mnts roteadores wi-fi requerem o MAC da placa de rede para liberar o acesso. talvez esse pode ser a solução do problema. e o prob já ñ esta mais no NB, esta na configo do proprio wi-fi.

Offline marcoc2

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 55
    • Ver perfil
    • twitter
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #9 Online: 13 de Dezembro de 2009, 16:16 »
Gostei do seu relato e do fato de você ter explicitado que a informática pra você é um meio e não um fim.

Eu não acho que devemos ficar forçando a barra para que usuários comuns usem Linux em casa. (Numa empresa é um caso diferente.)
Tais usuários não teriam condições de contornar os problemas que você passou.

Como informática para mim é um fim, uso o Ubuntu e tenho uma boa relação com este.

Boa sorte em sua jornada.
..   , - O
.. O (_) )
..   `- O

Offline rogeriocal

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 20
    • Ver perfil
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #10 Online: 03 de Janeiro de 2010, 03:18 »
Senhores,

Eis-me aqui novamente para atualizar a minha pequena odisséia. Na verdade não há muito o que acrescentar, mas de qualquer forma, pretendo postar aqui as pequenas evoluções e involuções que estou encontrando pelo caminho.

O meu notebook tem cinco botões na canto superior esquerdo do teclado, com funções dedicadas. São eles:
- navegador da internet: quando acionado com o navegador já aberto, carrega a página inicial. Quanto acionado com o navegador fechado, abre o navegador de arquivos
- programa de e-mail: ok
- silenciar alto-falantes: ok
- ligar e desligar placa de rede wirelles: ok

Acesso aos bancos: o Itaú funciona normalmente. O Banco do Brasil não funcionava até que o meu colega engenheiro solucionou o problema. Acho que o Banco do Brasil modificou alguma coisa, porque agora não está funcionando de novo. Diz que não foi possível instalar a solução de segurança porque o computador não tem o Java instalado.

As charges do www.charges.com.br continuam sem funcionar. Eu não fui atrás de uma solução, mas tinha a esperança que alguma das atualizações de rotina que faço no sistema acabasse por resolver o problema.

Vídeos no Youtube funcionam, mas alguns não é possível dar pausa, avançar e retroceder. É iniciar e assistir até o fim porque não tem como parar. Vídeos que estão dentro de outras páginas, mesmo que sejam vídeos que estão hospedados no Youtube, também não funcionam. Vídeos do TerraTV às vezes funcionam normalmente, outras dá uma mensagem de que o meu computador não é compatível para reproduzir os vídeos, mas funciona se escolho a opção "tentar assim mesmo" e outros não funcionam mesmo.

O acesso ao arquivo da Veja, todo feito em flash com animações das páginas virando, funcionou por alguns segundos na primeira vez que acessei, depois nunca mais.

Instalei o Compiz, mas não funciona ou eu não sei usá-lo. Após instalado apareceu o seu nome no menu aplicativos -> sistema, mas quando acionado nada acontece.

Peguei uns filmes compactados em RAR e como não tinha um descompactador nativo para esse formato instalei o 7zip através da Central de Programas do Ubuntu, só que não apareceu o nome do programa em nenhum menu e pelo navegador de arquivos continuava sem descompactar. Mas onde afinal foi parar o programa?? Achei a pasta dele em usr/bin, mas não achei nenhum arquivo executável (pelo menos com a extensão .exe, como eu estava acostumado) e também não consegui colocar o programa no menu. Pesquisei um pouco na internet e descobri que se digitasse "sudo install rar" no Terminal meus problemas estariam resolvidos. Foi o que eu fiz e funcionou. Agora basta clicar com o botão direito do touchpad, escolher "extrair" e o arquivo é descompactado. Pelo menos esse problema eu consegui resolver.

Offline velox256

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 1.915
  • Debian é Debian... :)
    • Ver perfil
    • Linux Inside
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #11 Online: 03 de Janeiro de 2010, 06:46 »
Isso que é gostar de escrever, hehehehe...
Computador perereca, com disco perereca, monitor perereca e sistema super xuxu. Visitem a minha página em http://sidserra.k6.com.br ou meu blog em http://sidserra.blogspot.com.br.

Offline rogeriocal

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 20
    • Ver perfil
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #12 Online: 20 de Janeiro de 2010, 11:10 »
Nova atualização da saga de um usuário windows, desde o "3.11 for Workgroups", para o Ubuntu.

Após algumas rusgas agora estou em fase de lua de mel com o Ubuntu. Os problemas com o flash estavam me incomodando. Por causa disso cheguei a pensar em voltar para o Windows, mas então pensei racionalmente nas alternativas. Gastar US$ 9,90 para ter o Vista Home Basic 64 bits (que é o valor que a Microsoft cobra para enviar o DVD. Despesas de manuseio e postagem, segundo a Microsoft) ou gastar R$ 450 (ou coisa parecida) pelo Windows 7. Bom, US$ 9,90 não é muito dinheiro, mas o Vista é um sistema pesado, relativamente rejeitado pelo mercado e que até a própria Microsoft já reconheceu que não deu muito certo. Pagar por um sistema assim, ainda que seja um valor baixo, não me pareceu uma boa alternativa. E gastar R$ 450 só para poder ver charges, vídeos de Youtube e similares embarcados em outras páginas e o arquivo da Veja me pareceu jogar dinheiro fora. Sim, porque era apenas por causa disso que estava cogitando a troca. O Windows 7 pode ser uma maravilha, mas o Ubuntu estava me atendendo muito bem e gastar todo esse dinheiro apenas por essas funcionalidades a mais me pareceu jogar dinheiro fora. Por isso, continuei com o Ubuntu e toquei a vida.

Até que, neste fórum mesmo, vi um tópico com um título mais ou menos assim: "Ubuntu 64 bits: já vale a pena instalar?". E lendo as respostas, alguém respondeu que achava que valia a pena sim. Que teve apenas alguns problemas com o flash, mas que já havia resolvido instalando o flash 64 bits para Linux da Adobe. COMO?????? FLASJ 64 BITS DA ADOBE??????? Onde, onde, onde? Já tinha entrado na central de downloads da Adobe e não tinha nenhum flash de 64 bits para Linux. Será que nesse meio tempo a Adobe já tinha disponibilizado? Entrei de novo na central de downloads da Adobe e nada. Procurei pelo site da Adobe e nada. Não é possível!!! Esse cara do fórum não pode estar imaginando coisas!! Já estava pensando em postar no fórum perguntando onde o cara tinha achado isso quando pensei em procurar pelo Google por "flash 64 bits Linux Adobe" e o santo Google mostrou a luz. Lá, logo no primeiro resultado estava o caminho para o Santo Graal. Não tenho a mínima ideia de onde a Adobe escondeu essa página no site deles, mas pela raiz do endereço, eu vi que era realmente uma página do site da Adobe. A página, em inglês, avisava que era versão alpha e que ainda tinha alguns problemas, alguma coisa a ver com webcam e blá, blá, blá... Tá, tá, tá bom. Não vai explodir o meu notebook? Então manda! Cadê o link para download???? Lá estava ele! Fiz o download, descompactei e .... hã?? Surge um arquivo lib alguma coisa .so. Que? E agora? O que eu faço com isso? Dois cliques nele? Não funciona. Abrir? Também não. Executar? Não deu certo. Instalar? Como? Putz, e agora?? Estava tão perto!! Pesquisei pela internet o que era um arquivo .so e como usá-lo, mas não achei nada que solucionasse o meu problema. Ou, pelo menos, não achei nenhuma que eu pudesse entender. Postei naquele tópico sobre o Ubuntu 64 bits perguntando sobre como usar esse arquivo .so, inclusive citando o colega que disse que tinha instalado o flash 64 bits da Adobe, mas infelizmente ninguém respondeu na época e nem agora. Minha pergunta continua sem resposta no fórum.

Apelei então para meu colega engenheiro consultor informal de Ubuntu. Contei o caso e minha surpresa foi que ele não sabia que existia flash de 64 bits para Linux da própria Adobe. Ele também tinha um computador com Ubuntu 64 bits e convivia com os mesmos problemas que eu. Ele me explicou que bastava ir no navegador de arquivos, mostrar os arquivos ocultos e então colocar dentro da pasta .mozzila/plugins. Nossa! Que fácil depois que alguém explica pra gente. Antes tinha que desinstalar o flash que já tinha, claro, procedimento que a própria Adobe já alertava que era necessário, mas isso eu já tinha feito antes mesmo de fazer o download do flash 64 bits. E voilá! Tudo funcionando! Sim, as charges, o arquivo da Veja, os vídeos embarcados em outras páginas, tudo! Ah, sim! O medidor de velocidade do site www.speedtest.net, também não funcionava e agora funciona. Maravilha!!! E ainda pude ajudar esse meu colega engenheiro consultor informal de Ubuntu que não conhecia esse flash 64 bits para Linux da Adobe. Ele instalou no computador dele e também tudo funcionou. Foi muito bom poder ajudar ele mostrando algo que ele não conhecia e não só ficar pedindo ajuda.

Outra coisa que me entusiamou. Queria converter uns vídeos que peguei na internet, mas não conhecia nenhum programa que fazia isso no Ubuntu. Aí pedi indicação. "Você pode usar o Avidemux". Vamos lá: abro o terminal e digito "sudo apt-get install avidemux" e pronto. Espero um pouco o notebook fazer o download, instalar e já posso usar o programa. Como eu fazia mesmo com o Windows? Entrava no site superdownloads, procura o programa, escolhia fazer o download, escolhia a pasta onde salvar o arquivo, abria o "Executar", escolhia o arquivo executável (algumas vezes ainda tinha que descompactar antes), aceitava a licença e next, next, next, next, next... ... next, next, ok e aí podia usar o programa. Afff. Isso me lembra aquelas repartições públicas hiperburocráticas onde você precisa preencher em 3 vias, reconhecer firma, pagar a taxa no banco, levar no guichê número tal e.... Agora posso falar com conhecimento de causa. Prefiro o método "sem parar" de instalar programas do Ubuntu. Mas e se não tiver no repositório?  >:( Ah, caramba! Esqueça esse programa e procure um equivalente ou semelhante que tenha! Parece que gosta de complicar!
« Última modificação: 20 de Janeiro de 2010, 12:23 por rogeriocal »

Offline Junior_Sampa

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 382
  • Ubuntu 12.04 64bits - Unity 3D
    • Ver perfil
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #13 Online: 20 de Janeiro de 2010, 12:05 »
Muito legal seu relato e experiência!

Legal também ter conseguido resolver suas pendências até o momento... já estou no Ubuntu a alguns anos e também não troco...

Abrs.
Junior

Offline Ioca100

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 2.848
  • Rio,Brasil
    • Ver perfil
Re: Experiências de um usuário rumo ao Linux
« Resposta #14 Online: 20 de Janeiro de 2010, 17:01 »
Hehehe, já tinha até esquecido de colar o .so na pasta .mozilla/plugins, teve uma época que a gente fazia isso direto.Legal saber que você está conseguindo, eu aqui estou sem  Windows há uns três ou quatro meses, meu irmão está indo pelo mesmo caminho, essa semana instalei um dual boot para um amigo e espero que ele use mais o Ubuntu.
abs.
« Última modificação: 20 de Janeiro de 2010, 17:04 por Ioca100 »
Usuário Linux- 449417