Autor Tópico: Folha de SP - PC Conectado  (Lida 14582 vezes)

Offline KubLin

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 428
    • Ver perfil
Folha de SP - PC Conectado
« Online: 22 de Fevereiro de 2006, 15:14 »
Folha de SP - PC Conectado - dia 22/02 caderno informática

PECHINCHA DIGITAL

Falta de compatibilidade do Linux e limitações impostas pela Microsoft tornam PC mal aproveitado

Sistemas pioram desempenho do micro

DA REPORTAGEM LOCAL

Quem decidir comprar um computador popular precisará conviver com limitações que vão além da configuração das peças da máquina. Para reduzir custos, as fabricantes decidiram usar sistemas operacionais baseados em Linux ou uma versão limitada do Windows, a Starter Edition. Ambos atendem às necessidades básicas de um usuário iniciante, mas apresentam barreiras para um uso pleno das configurações oferecidas pelas máquinas.
Tanto no Linux quanto no Windows é possível navegar na internet e usar ferramentas de escritório com facilidade. Jogos e programas mais pesados, como editores de imagens e tocadores de vídeo, por outro lado, apresentam lentidão e, muitas vezes, não têm sua instalação concluída.

PC com Linux
Durante os testes com três versões do Linux distribuídas nos computadores de preço baixo (Kurumin, Conectiva e Insigne), a reportagem encontrou dificuldade em realizar tarefas como instalar uma impressora, descarregar fotos de uma câmera digital e instalar e desinstalar programas.
Apesar de contar com até seis portas USB, as máquinas que usam Linux não têm reconhecimento automático dos dispositivos e, assim, não aproveitam os recursos do hardware.
Para obter êxito nas tarefas citadas, foi preciso realizar ajustes usando comandos de texto no terminal do Linux (ambiente equivalente ao DOS das antigas versões do Windows), uma técnica complicada para iniciantes.
A aparência dos sistemas Linux é bastante amigável e os pacotes de programas que vêm instalados oferecem mais serviços do que os softs que acompanham o Windows. Outra vantagem do sistema gratuito é a segurança. Programas espiões e vírus raramente causam estragos ao Linux, que usa proteção por senha na instalação de pacotes como padrão.

PC com Windows
No quesito compatibilidade com dispositivos externos, o Windows Starter Edition tem o mesmo potencial que as outras versões do sistema. Isso quer dizer que qualquer câmera digital, drive externo ou periférico conectado via USB são reconhecidos automaticamente e podem ser usados sem dificuldades.
Na parte interna, a situação é diferente. O Starter Edition só permite que três programas sejam abertos simultaneamente e não reconhece novas peças instaladas -o que impossibilita uma futura melhora no hardware do PC. Não é possível nem mesmo adicionar mais do que 256 Mbytes de memória RAM, um upgrade aconselhável para os micros populares, que já têm processadores lentos e pouco espaço em disco.

Apesar das limitações nos sistemas operacionais dos computadores mais baratos, é possível ganhar em produtividade sem apelar para a pirataria. No Linux, uma opção é usar as ferramentas de instalação automática, como o apt-get e o Synaptic (www.nongnu.org).
Com eles, os programas são baixados e instalados automaticamente, e não é preciso procurar por acessórios exigidos (dependências). No caso do Windows, a saída para um melhor aproveitamento da máquina também passa pelo mundo do código aberto. O exemplos mais famosos são o navegador Firefox (www.getfirefox.com) e o pacote OpenOffice.org (www.openoffice.org.br). Para encontrar softs específicos, uma visita aos portais de download também pode ajudar. Alguns exemplos são o Softpedia.com e o Super Downloads (www.superdownloads.com.br)

Pela primeira vez na vida estou escrevendo em um editor de texto que não é o Word nem o bloco de notas do Windows. É o editor do Conectiva Office, para Linux. A experiência não parece nova, tudo parece idêntico ao Word. As ferramentas, os menus, a tela, tudo. Mas, se além de escrever eu quiser formatar o texto, mudar cores ou inserir caracteres especiais, começo a ver diferenças. Colorir caracteres dá um certo trabalho. Descobri que, para fazer isso, é preciso clicar e manter o botão pressionado em vez de apenas apertar o botão. É uma tarefa insignificante, mas você precisará descobrir como fazê-la. A área de trabalho do Linux também é semelhante à do Windows e, por isso, tive certeza de que não teria problemas em utilizar o computador. Existe um editor de planilhas, como o Excel, um processador de textos, como o Word, e um programa de apresentações, como o PowerPoint. Quando usei esses softs, porém, percebi as diferenças. O usuário do Windows vai precisar exercitar a "arte de fuçar" para aprender como as coisas funcionam. Nem tudo é igual. O editor de textos parece com o Word, mas não é o Word, e assim por diante. A primeira tarefa que quis realizar foi aumentar a definição da tela, para que as letras não fossem tão pequenas, pois tenho problema de visão. Seguindo mais ou menos o que eu fazia no Windows, procurando aqui e ali, eu cheguei lá de maneira relativamente fácil. Não há, no Linux, um corretor ortográfico e, como digito rapidamente e não quero perder tempo com revisões, esse recurso me ajudaria muito. Pode ser que o corretor ortográfico exista e esteja desativado, mas, para descobrir isso, eu teria que pesquisar no micro. Chega uma hora em que essa busca fica cansativa. A sensação que se tem é a de que tudo está ali, mas organizado de forma estranha. Parece igual, mas não é. Se você já está acostumado com o Windows, logo vai se perguntar por que usar o Linux. Por que perder tempo procurando funções, por que se tornar especialista em software, se você já sabe usar outro que faz exatamente a mesma coisa? No começo, o Linux era interessante pela curiosidade da descoberta, mas, depois, ele se transforma em uma verdadeira prova de paciência.
Marcos Sanches é estatístico e foi convidado a testar o sistema operacional Conectiva Linux do micro da Positivo, vendido pelo programa "Computador Para Todos"
(JB)

Offline galactus

  • Equipe Ubuntu
  • Usuário Ubuntu
  • *****
  • Mensagens: 4.683
    • Ver perfil
Folha de SP - PC Conectado
« Resposta #1 Online: 22 de Fevereiro de 2006, 23:11 »
"Durante os testes com três versões do Linux distribuídas nos computadores de preço baixo (Kurumin, Conectiva e Insigne), a reportagem encontrou dificuldade em realizar tarefas como instalar uma impressora, descarregar fotos de uma câmera digital e instalar e desinstalar programas. "

To pasmo com isso! Não querendo desmerecer o cara, mas o que foi que ele fez? Ou melhor, deixou de fazer?

Logo com o Kurumin e o Insigne!!!!!

Já usei os dois, são muito fáceis. Só podem ser duas coisas, as versões embarcadas nesses PCs populares são antigas. Como o Kurumin que vêm no Amazon PC, é o Kurumin 4.1 . A atual é a 5.1, e o Morimoto já trabalha no Kurumin 6. O Insigne mesmo, nos PCs que já vi ele embarcado aqui em SC, era a versão 3.0, mas no site do Insigne já tem o 4.0. Que é muito melhor que a 3.0 .
Ou então ele quis usar algum Hardware top de Linha que não possui compatibilidade com essas distros.

Sei lá viu, se você vai usar alguma coisa nova ou diferente, que você nunca viu. Você não terá que "fuçar" e passar algum tempo até se adaptar a ela?

Agora até isso virou "prova de paciência"!!!!  

Como se o cara nascesse com um mouse e o Windows na mão! Passei mais tempo da minha vida usando Windows que o Linux, e tenho certeza que o Windows também me foi um grande teste de paciência. Tive que penar um bocado até aprender as coisas no Windows. Mas pra esse Marcos Sanches, no Windows você já "sabe tudo".
Kubuntu 21.10 / Linux Mint XFCE 20.2

Offline juliocesar

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 3
  • www.tecnocracia.eti.br
    • Ver perfil
    • http://tecnocracia.eti.br
Folha de SP - PC Conectado
« Resposta #2 Online: 24 de Fevereiro de 2006, 11:53 »
Concorco com o você Galactus no ponto em que o reporter não fez uma boa avaliação da situação. Com relação a baixar fotos, diante do Kurumin 5.1 você tem um dos menus com literalmente tudo a mão:

Menu k -> Gráficos -> Baixar fotos (baixa fotos de uma câmera USB)
A Impressora: Menu K -> Sistema de impressão -> Adcionar uma impressora
Instalar programas também fica facil com os Icones magicos!

Veja bem que eu não tive que ir no meu "Painel de Controle" onde realmente tenho as opções degerenciamento. Mas tudo bem, a maioria destas disbuições possuem um painel de controle, com um texto bem claro.

O reporter nada mais fez do que tentar achar o mesmo padrão windows no Linux. A maioria dos usuarios em cursos de informatica do tipo "aprender windows + office" não chegam a instalar um sistema, muito menos baixar fotos, eles sabem ligar, desligar, ativar programa, minimizar, salve e fechar. Para tais operações o linux com KDE simula bem.

Eu acho que no momento, uma boa escolha de distribuição e maquina é o que torna o PC para todos adaptavel ao usuario. Ms, infelsimente, muitos já sabem que o usuario comprar linux pq é barato e depois contrata um tecnico para instalar o XP Pirata!
Júlio César
Gestão e Governança de TI
www.tecnocracia.eti.br

Offline RC2006

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 820
  • Ubuntu 10.10
    • Ver perfil
Folha de SP - PC Conectado
« Resposta #3 Online: 24 de Fevereiro de 2006, 13:32 »
Da reportagem
Descobri que, para fazer isso, é preciso clicar e manter o botão pressionado em vez de apenas apertar o botão. É uma tarefa insignificante, mas você precisará descobrir como fazê-la.
Chega uma hora em que essa busca fica cansativa. A sensação que se tem é a de que tudo está ali, mas organizado de forma estranha. Parece igual, mas não é. Se você já está acostumado com o Windows, logo vai se perguntar por que usar o Linux.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------

Pelo que entendi,  fácil e funcional são os comandos aprendidos por ele no windows
Querer que o linux funcione igual ao windows, que o write do openoffice tenha os comandos exatamente iguais ao word do windows!.
Lembra-me uma funcionária bem simples que resolveu estudar inglês e depois voltou dizendo que o inglês era complicado porque  eles pronunciavam tudo errado. A letra A era Ei, a letra B era bi .
HP All-in-one 4GB HD760 - windows7 home premium - Netbook Asus 1005PEB - Windows 7 - Ubuntu 11.04
Macbook branco 13.3" 2gb 160HD - Mac OS X 10.6 - Tablet Asus Eee Pad Transformer com dock - Android 3.2

meira

  • Visitante
Folha de SP - PC Conectado
« Resposta #4 Online: 24 de Fevereiro de 2006, 18:28 »
Esses meus coleguinhas da imprensa, vou te contar...

Esse tipo de "teste" não poderia ser feito só com quem já conhece Windows, mas com gente completamente novata em computadores.

E a abertura é um primor de desinformação: o cara não sabe que o próprio governo exigiu sistemas abertos, em vez de sistemas proprietários. Literalmente, não sabe sobre o que está escrevendo.
 
Acontece que existem muito poucos jornalistas da área de informática que realmente entendem do negócio.  E eles não estão na Folha de São Paulo.

Offline KubLin

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 428
    • Ver perfil
Folha de SP - PC Conectado
« Resposta #5 Online: 24 de Fevereiro de 2006, 19:00 »
meira

eles estão onde? no Estadão ?!

falou

Offline José Antonio Meira da Roc

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 6
    • Ver perfil
    • http://meiradarocha.jor.br
Folha de SP - PC Conectado
« Resposta #6 Online: 24 de Fevereiro de 2006, 19:15 »
:D Acho que também não.. alguns estão no Globo.
--
Prof. MS. José Antonio Meira da Rocha

Offline LedStyle

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 1.345
    • Ver perfil
    • http://www.tuxresources.org
Folha de SP - PC Conectado
« Resposta #7 Online: 24 de Fevereiro de 2006, 21:25 »
Bom... se viesse com o Ubuntu instalado garanto que seria bem mais fácil... rs.

Seria legal um BRubuntu, um Ubuntu personalizado pras as leis do Brasil. Como aqui não tem aquelas legislações lunáticas dos EUA, dava pra esse ubuntu vir com codecs multimídia instalados, plugins no navegador e drivers proprietários se necessários. Igual o nosso antigo Conectiva 10.
Ai sim seria um projeto voltado pro iniciante. Ainda mais pelo fato de o Ubuntu utilizar a última palavra na tecnologia de detecção de hardware para Linux.

Mas parece que o pessoal que bolou o projeto não entende muito do sistema Linux. Pq pra colocar Kurumin num PC como esse e ainda mais uma versão supostamente antiga... fica complicado mesmo heim!

Piras

  • Visitante
Folha de SP - PC Conectado
« Resposta #8 Online: 25 de Fevereiro de 2006, 01:34 »
Já notei uma certa má-vontade da Folha em relação ao Linux ou ao ]software livre em geral. Quase toda cobertura do Linux é negativa. Talvez o motivo do fenômeno seja o fato de que a experiência dos articulistas se restrinja ao Windows. Desse modo, a sua tendência natural seria tomar o sistema da Microsoft como padrão de qualidade.

No entanto, para mim, há também o fato de que alguns cadernos da Folha são quase que totalmente entregues ao marketing e à promoção comercial. É o caso do Caderno de Turismo, por exemplo, onde quase toda matéria sobre este ou aquele país ou cidade é patrocinada por um hotel, evento ou agência, que pagando as despesas de um determinado jornalista, obtém um texto que mais parece folheto promocional que reportagem de fato. E é o que acontece, em menor medida, com a própria Ilustrada, onde quase toda matéria é relacionada a um determinado "lançamento" e, consequentemente, ditada pelo marketing (as críticas negativas de algum grande lançamento no cinema só são publicadas muitos dias após o "oba-oba" inicial, por motivos óbvios, é claro...).  

No Caderno de Informática, sinto o mesmo cheiro de propaganda encoberta na maior parte das matérias. É um campo onde o Linux, logicamente, terá poucas chances de concorrer. Sinal, de que talvez seja preciso inundar a caixa de correio eletrônico do Ombudsman para que o jornal comece a tratar o software livre com um pouco mais de isenção e de atenção.

Piras

  • Visitante
Folha de SP - PC Conectado
« Resposta #9 Online: 25 de Fevereiro de 2006, 01:41 »
LedStyle,

Sempre achei que a idéia de uma versão nacional do Ubuntu seria uma boa idéia. Não uma nova distro, mas apenas um Ubuntu com um pouco mais de gordura, vale dizer, dotado daqueles formatos proprietários que, devido a singularidades da legislação americana, não podem aparecer na imagem "iso" oficial. Se há uma versão BR do Debian, não vejo problema em haver coisa semelhante no Ubuntu; uma imagem "iso" do  Ubuntu que nos poupasse dos inconvenientes do Automatix. Aliás, poderia ser até mesmo um "Live CD" instalável, que utilizasse o instalador rápido de uma excelente derivada do Ubuntu, a Guadalinex.

E, para completar, poderiam ser somados à imagem oficial alguns programas populares aqui no Fórum, como o Mplayer e o Gxine. Será que seria coisa muito difícil? De qualquer modo, é um projeto com que eu colaboraria com prazer, pois poderia poupar muito trabalho aos usuários brasileiros do Ubuntu.

Offline RC2006

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 820
  • Ubuntu 10.10
    • Ver perfil
Folha de SP - PC Conectado
« Resposta #10 Online: 25 de Fevereiro de 2006, 10:49 »
Concordo Piras/LedStyler, acho que um Br_Ubuntu viria tornar mais fácil para os iniciantes considerando as modificações acima citadas.
A popularidade do Ubuntu só iria crescer.
HP All-in-one 4GB HD760 - windows7 home premium - Netbook Asus 1005PEB - Windows 7 - Ubuntu 11.04
Macbook branco 13.3" 2gb 160HD - Mac OS X 10.6 - Tablet Asus Eee Pad Transformer com dock - Android 3.2

Offline felipefoz

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 200
    • Ver perfil
Folha de SP - PC Conectado
« Resposta #11 Online: 25 de Fevereiro de 2006, 12:45 »
também acho essa idéia do BRubuntu uma boa, não tem nada feito nesse sentido??? Além dos codecs, a versão 5.10 ao contrário da 5.04 vem com problemas de tradução, ou seja, tem que baixar alguns pacotes para que tudo fique traduzido!!

Offline marcelinux

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 7
    • Ver perfil
FOLHA DE SÃO PAULO - PC CONECTADO
« Resposta #12 Online: 01 de MAR?O de 2006, 19:50 »
Amigos, visualizem a situação de alguém que aprendeu a dirigir um automóvel com o volante à esquerda, passou a vida toda nele, e depois resolveu dirigir um automóvel com o volante à direita. Tudo será diferente, desconfortável, impróprio, não é mesmo ? Ele mesmo diz: está tudo lá, mas de um modo esquisito, diferente ... Ora, como já dito antes, não foi uma avaliação isenta, válida, e mais uma vez topamos com alguém formulando opinião de forma preconceituosa. Já dizia o grande guru Lair Ribeiro, em um de seus manuais: "Se a única ferramenta que possuires for um martelo, frente a todo problema que te aparecer pensarás que é um prego". Então, finalizando:  os cães ladram, enquanto a caravana passa ...
"... quem pode querer ser feliz se não for por amor ..." (J. Bosco)

Offline josevitor

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 121
  • Advogado - SC
    • Ver perfil
    • Ubuntu Floripa
quanta besteira....
« Resposta #13 Online: 13 de Abril de 2006, 14:06 »
"(...)te fácil. Não há, no Linux, um corretor ortográfico e, como digito(..)"

Alguém ousa dizer isso neste fórum????

Trabalho no ramo do direito, mais precisamente Advocacia. Se erra uma palavra, uma virgula posso perder uma ação...

Nem por isso hipotequei minha casa pra comprar os programas do Sr Gates..

Sinceramente.. esse reporter deveria voltar pra Gazeta de Quixeramobim (Link).
José Vitor Lopes e Silva
Advogado - Florianópolis/SC
http://josevitor.blog.br

Quer sugerir documentação para o wiki em português?? Envie para sugestoeswiki@ubuntubrasil.org !!
Quer aprender mais sobre Ubuntu?? Acesse http://wiki.ubuntu-br.org/ComeceAqui

RodrigoCatalan

  • Visitante
Folha de SP - PC Conectado
« Resposta #14 Online: 13 de Abril de 2006, 14:14 »
Pegar um usuario de windowsXP e mandar fazer uma reportagem dessas com certeza vai sair esse tipo de coisa... seria a mesma coisa que colocar um usuario de Linux... ele falaria mal pacas do Windows Start Edition e puxaria sardinha para o Linux.... mas o ponto de vista mais importante não foi citado, a meta desses micros são o baixo custo... então o que seria melhor? Um sistema operacional completo e totalmente customizavel ou uma demo de sistema operacional??? quem usa computadores hj em dia precisa de interesse e ambito para buscar as soluções necessaria.