Autor Tópico: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows  (Lida 13557 vezes)

Offline ins3rt c0in

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 700
    • Ver perfil
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #15 Online: 20 de Novembro de 2006, 22:45 »
Tudo bem que obrigar aulas de linux (ou software livre) no setor privado é demais. No entanto não se pode negar que é mais democrático as aulas de informática, na esfera pública, serem baseadas em software livre que, em "tese", não têm o custo do software proprietário. Ao limitar o ensino a software proprietário aos alunos da rede pública, de renda mais baixa, "força-se" o uso dos mesmos pelos alunos. Agora, eles têm condição de bancar um computador com software proprietário? Windows e Office? Se a meta é inclusão digital o sotware livre deveria ser prioridade.

Claro que tudo é muito bonito no papel. Eu acredito que só ensinar o Linux não seria a resposta para todos os problemas. Claro que vai ter gente que mesmo com noção de como trabalhar com o SL vai comprar o Computador para Todos e instalar o "Windows PE". No entando as ações de inclusão digital do governo estariam eticamente corretas e no caminho mais correto para a inclusão digital.
« Última modificação: 20 de Novembro de 2006, 22:50 por inc3rt c0in »

Offline Rwainder Miller

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 102
    • Ver perfil
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #16 Online: 20 de Novembro de 2006, 23:26 »
Tudo bem que obrigar aulas de linux (ou software livre) no setor privado é demais. No entanto não se pode negar que é mais democrático as aulas de informática, na esfera pública, serem baseadas em software livre que, em "tese", não têm o custo do software proprietário. Ao limitar o ensino a software proprietário aos alunos da rede pública, de renda mais baixa, "força-se" o uso dos mesmos pelos alunos. Agora, eles têm condição de bancar um computador com software proprietário? Windows e Office? Se a meta é inclusão digital o sotware livre deveria ser prioridade.

Claro que tudo é muito bonito no papel. Eu acredito que só ensinar o Linux não seria a resposta para todos os problemas. Claro que vai ter gente que mesmo com noção de como trabalhar com o SL vai comprar o Computador para Todos e instalar o "Windows PE". No entando as ações de inclusão digital do governo estariam eticamente corretas e no caminho mais correto para a inclusão digital.
mesmo sendo do governo as escolas publicas,não são eles quem decidem o que deve ser instalado,isso cabe ao diretores das escolas e gerencia geral da própria escola que decidem no que devem gastar,só que a diretoria é formada por pessoas de normalmente +45anos que complica tentar convencer,eles querem os professores enchem o saco dizendo que linux é ruim e eles não colocam linux,não é em todos os casos mas quanto mais velho a pessoa,mais difícil de convencer é.


Offline ins3rt c0in

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 700
    • Ver perfil
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #17 Online: 21 de Novembro de 2006, 00:04 »
Você está enganado! Quem decide a grade curricular das escolas, ou seja, se o software livre deve ser incluído em aulas de informática é o Governo (Federal, Estadual e Municipal), pelo Ministério da Educação e Secretarias de Educação. Isso pelo motivo que você mesmo citou. Não poderíamos ficar reféns de cada diretor de escola.

obs1 - Se a escola não tem estrutura para lecionar o que por lei deve ser ensinado é outra história. Deve ter muita escola por aí sem livro didático, isso não significa que não se "ensina" matemática por exemplo.

obs2 - Desculpem a discussão política, sei que é contra as regras do fórum. Prometo que não volto ao assunto.

Offline JeffersonX

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 442
  • Linux User: #364092
    • Ver perfil
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #18 Online: 22 de Novembro de 2006, 12:52 »
Digo e repito: todos os micros desse programa que vi estavam com distribuições Linux velhas, não amigáveis e desconfiguradas. Queria ver se fosse as versões mais recentes Ubuntu, Suse ou Fedora configurados direitinho. O número seria menor. Sem contar que o governo poderia também junto com esse programa, dar junto o curso de Linux para desktop para quem comprasse o micro. Garanto que um grande problema é que, não é problema Linux, pois um cara totalmente leigo toma surra de Windows do mesmo jeito. Agora o cara que toma surra, procura aquele amigo que conhece o mínimo de informática. A maioria conhece é Windows. O que ele faz? CD do XP e format c:. É triste mas é a realidade. Agora se o cara ganhasse um cursinho de Linux? Ia até gerar empregos isso.
Linux Professional Institute Certified - Level 1, Novell CLA - Certified Linux Administrator, Microsoft Certified Professional - Windows Server 2003, ITIL Foundation Certified
Meu Blog: http://tibyjeffersonx.blogspot.com

Offline Polaco

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 525
    • Ver perfil
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #19 Online: 22 de Novembro de 2006, 14:03 »
Distribuições exóticas também é outro problema grave, até mesmo pra nós que lidamos com Linux diariamente. Quando um leigo tem uma dúvida e pede ajuda para nós que lidamos ou trabalhamos com Linux, ficamos com as "mãos atadas", literalmente, por não conhecermos a distribuição fornecida pela montadora do computador.

Por que não utilizam SuSE, Mandriva, Ubuntu, Fedora, Debian, Slackware, Kurumin ou qualquer distribuição popular, ao invés de usar uma distribuição raríssima como a Fenix?
Ubuntu 10.04 x64 @ Dell Optiplex 740

Offline Rwainder Miller

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 102
    • Ver perfil
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #20 Online: 22 de Novembro de 2006, 14:25 »
Digo e repito: todos os micros desse programa que vi estavam com distribuições Linux velhas, não amigáveis e desconfiguradas. Queria ver se fosse as versões mais recentes Ubuntu, Suse ou Fedora configurados direitinho. O número seria menor. Sem contar que o governo poderia também junto com esse programa, dar junto o curso de Linux para desktop para quem comprasse o micro. Garanto que um grande problema é que, não é problema Linux, pois um cara totalmente leigo toma surra de Windows do mesmo jeito. Agora o cara que toma surra, procura aquele amigo que conhece o mínimo de informática. A maioria conhece é Windows. O que ele faz? CD do XP e format c:. É triste mas é a realidade. Agora se o cara ganhasse um cursinho de Linux? Ia até gerar empregos isso.
não ixagera. o intuito é de fazer o computador mais barato e não de fazer as pessoas aprenderem linux,concordo que a distro não foi uma escolha boa mas essa do curso é bobagem,intão se alguem vender um computador com windows para uma pessoa que nunca mexeu em um computador na vida dela vai ter que dar um cursinho de windows para ela? isso quem deve fazer é a pessoa. porque sinão eles iriam preferir vender com windows do que pagar curso para as pessoas.


Offline JeffersonX

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 442
  • Linux User: #364092
    • Ver perfil
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #21 Online: 22 de Novembro de 2006, 14:40 »
Com certeza uma pessoa que compra um micro tem algum amigo que conhece windows. Já a de Linux não pode ter. A minha idéia era melhorar ainda o programa difundindo melhor o Linux. Agora por favor amigo, eu sou um cara tranquilo e leva na boa. Agora se fosse neguinho mais nervoso, ia dar maior confusão no fórum. Pega leve um pouco nas palavras, porque pode arrumar confusão, beleza?
Inté
Linux Professional Institute Certified - Level 1, Novell CLA - Certified Linux Administrator, Microsoft Certified Professional - Windows Server 2003, ITIL Foundation Certified
Meu Blog: http://tibyjeffersonx.blogspot.com

Offline zohguy

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 89
  • Encontro minha paz na rebeldia.
    • Ver perfil
    • Zohguy_Saiyajin
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #22 Online: 22 de Novembro de 2006, 15:37 »
Tenho que admitir que não estou muito por dentro da proposta do "computador para todos", mas me parece, pelos posts, que tal programa não tem nenhum padrão de software. Ele é subsidiado pelo governo? Então teria de obedecer a regras específicas, como qual distribuição utilizar, quais softwares deveriam estar instalados, interface com o usuário, etc...
A proposta do notebook de US$ 100,00 do MIT está demorando pra sair, mas pelo menos eles estão fazendo algum padrão, estabelecendo que sistema será instalado, os pacotes e configurações.
É de admirar que isso não tenha sido feito na proposta brasileira, ainda mais o país contando com uma distribuição nacional, o Kurumin, que me parece ótima, especialmente para os usuários iniciantes.

Contudo...

Podia ser pior... :D
Alguém já viu os screenshots do red flag linux da China??
É quase impossível distinguir o desktop dele do desktop do windows, tamanha a cópia, até os ícones são os mesmos! Se bobear, eles devem ter usado o "alias" nos comandos do terminal. :D

A solução para o problema do "computador para todos" é o governo instituir um padrão restritivo de software/hardware para os revendedores. Isso não atingiria as liberdades dos usuários, mas protegeria seus interesses, de ter um sistema dentro da legalidade, utilizável e produtivo.


Offline zohguy

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 89
  • Encontro minha paz na rebeldia.
    • Ver perfil
    • Zohguy_Saiyajin
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #23 Online: 23 de Novembro de 2006, 02:32 »
Resolvi me informar sobre o "Computador para Todos"... Poucas vezes li tamanhos disparates em tão pouco tempo quanto lendo sobre este programa de inclusão social porcamente criado pelo governo.

Então cheguei na página do tão comentado FeniX Linux. Quis ver quais eram as opções de download e se havia alguma restrição, então percebi que seria necessário concordar com um contrato de licença (com o qual NÃO concordei) para poder acessar a página das imagens.
Segue um trecho do contrato:

3- Restrições à Reprodução: O programa objeto da presente licença/termo de uso, bem como material escrito ou gravado, as marcas, imagens, aúdios, símbolos, insiginias, fotografias, animações, vídeos, músicas e texto incorporados ao mesmo são proteguidos pela legislação de direitos do autor, legislação referente à propriedade intelectual de programas de computador, bem como tratados internacionais em que o Brasil faça parte referentes à propriedade industrial e aos direitos autorais. É expressamente vedada a reprodução total ou parcial deste programa, bem como o uso de engenharia reversa, descompilação, desmontagem, tradução ou desenvolver obras derivadas deste programa.

Além do "proteguidos", o contrato de licença não deixa claro quando fala de PRODUTO e PROGRAMA, a que está realmente se referindo. Além disso, tudo que foi anexado ao Fenix pela empresa que o desenvolveu é de propriedade fechada da empresa... Não sei se eles quiseram incluir também partes que não podem ser fechadas, como o kernel, nessa salada judicial...

Segue...:
4- Transferência: O usuário não pode alugar, arrendar, sub-licenciar, ou emprestar o Programa ou Documentação. Porém, o usuário pode transferir todos os seus direitos de utilização do programa para outra pessoa ou entidade legal, contanto que transfira simultaneamente este Acordo e transfira (ou destrua) o programa (FeniX), incluindo todas as cópias, atualizações e versões prévias, bem como todo a Documentação, para tal pessoa ou entidade e contanto que não seja retido nehuma cópia, inclusive cópias armazenadas no computador do usuário inicial.

Será que eu precisaria "transferir" ou "destruir" TODAS as minhas cópias do Ubuntu, caso eu gravasse um cd com ele para um amigo meu? Isso é completamente bizarro.

Segue...:
6- Reponsabilidades: Nem a empresa titular nem qualquer distribuidor ou representante ou qualquer outra pessoa que tenha participação na criação, desenvolvimento, produção ou entrega deste produto será responsável por quaisquer danos diretos ou indiretos, lucros cessantes, danos emergentes, interrupção de negócio, perda de informações e outros problemas similares decorrentes do uso ou da impossibilidade de usar este produto que o licenciado venha a sofrer.

Ou seja, mesmo que você pague pelo suporte técnico, se algo der errado, o problema é seu...


Offline darkdelusion

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 55
    • Ver perfil
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #24 Online: 23 de Novembro de 2006, 22:59 »
realmente é bizarro esse contrato, não sei porque, mas tenho a impressão que eles não podiam colocar desta forma ai... :o

Offline absolut1983

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 72
    • Ver perfil
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #25 Online: 24 de Novembro de 2006, 00:03 »

   A tal "Garota sem fio" tomou uma iniciativa louvável:

   http://www.odontopalm.com.br/gsf/arquivo/2006/11/quem_sao_os_73.html
Acer Aspire 5051 / AMD Turion 64, 14.1", ATI Radeon Xpress 1100, 120GB HDD, 4GB DDR2 / Karmic Koala 64 bits

Offline rodox12

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 304
  • Coisinha fofa!
    • Ver perfil
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #26 Online: 28 de Novembro de 2006, 10:58 »
Segundo a materia, "quase 70% dos entrevistados se enquadravam nas classes C e D e 86% adquiriram seu primeiro computador.", isto significa que quem opta pelo windows sao aqueles sem informacao e totalmente leigos. Ter esta porcao de usuarios faz alguma diferenca para "nossas comunidades"??
Temos que fixar o bug #1.

Offline zohguy

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 89
  • Encontro minha paz na rebeldia.
    • Ver perfil
    • Zohguy_Saiyajin
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #27 Online: 28 de Novembro de 2006, 16:57 »
Acho que faz bastante diferença ter esse tipo de usuário utilizando o sistema. É uma prova de fogo para a usabilidade e para a segurança.
É muito fácil fazer um sistema resistente a vírus, invasões, etc, difícil é fazer um sistema resistente ao usuário leigo que está sentado no teclado da máquina.
Me lembro de quando trabalhei em uma empresa que utilizava um sem fim de tecnologias realmente caras para garantir a segurança do sistema (que era Windows 2000), e os usuários continuavam fazendo c*gadas e descobrindo métodos para burlar as restrições (como páginas que servem de proxy, etc)...
Mas isso é bem comum... Mais tarde conseguiram aumentar bastante as restrições e solucionaram boa parte dos problemas.
Além disso, a maioria das pessoas aqui sonha com o dia em que o Linux irá se popularizar. Para que isso aconteça, todos os tipos de usuários terão que aderir ao sistema, desde os caras que tem mais facilidade para falar em C do que em português, até aqueles que mal conseguem falar em português. :D


Offline OsvaldoPTux

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 42
    • Ver perfil
    • Ubuntupédia
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #28 Online: 28 de Novembro de 2006, 18:18 »
Olá.

Na minha experiência de vendas, a maioria das pessoas compram o que o amigo tem, ou o que o amigo recomenda. É assim com o i-pod, com uma máquina fotográfica, com um computador e com um S.O. Nenhum vendedor, tutorial ou anuncio televisivo é melhor do que o teu amigo para a esmagadora maioria das pessoas.

Abraço

Osvaldo
**********************************
http://ubuntupedia.info/

Offline zohguy

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 89
  • Encontro minha paz na rebeldia.
    • Ver perfil
    • Zohguy_Saiyajin
Re: 73% dos compradores do Computador para Todos mudaram para Windows
« Resposta #29 Online: 28 de Novembro de 2006, 18:37 »
Isso é bem verdade, a maioria das pessoas vai com a massa. Mas também é verdade que esse tipo de atitude não trás bons resultados. A inquisição, o nazismo, o windows, a bulimia, o crack, o guerras étnicas e religiosas e muitas outras coisas perniciosas se baseiam nesse mesmo pensamento.
É um resquício da evolução do qual devemos fazer o possível para nos ver livres.