Autor Tópico: Ubuntu não reconhece meu monitor externo!!!  (Lida 3457 vezes)

Offline josinaldo_justino

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 3
    • Ver perfil
Ubuntu não reconhece meu monitor externo!!!
« Online: 11 de Julho de 2016, 11:26 »
Estou tentando sair do Windows e ficar utilizando apenas o Linux, mas estou totalmente decepcionado com a deficiência no que diz respeito a drivers (principalmente gráficos)! Já utilizei o Debian, Mint, Fedora e agora (por indicação de ser o mais completo), instalei o Ubuntu 64 bits. Mas continuo sem conseguir configurar corretamente a resolução do meu monitor. Tenho pedido ajuda em inúmeros fóruns e sites sobre Linux, e até agora não me têm retornado uma solução! Será que não existe um simples driver para monitor Samsung de 20"? Isso demostra por que o Windows é líder de mercado (mesmo sendo muitíssimo caro!).
Desejo, realmente utilizar, de maneira definitiva, o linux (não importa a distribuição), mas as versões que testei são bastante ineficientes.
Se alguém conhece uma maneira de configurar a resolução do monitor citado, ou conhece alguma distribuição que ao instalar já reconheça o monitor e ofereça as configurações corretas (como acontece com o Windows!), ficaria muito grato.

Um bom dia a todos!

Offline druidaobelix

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 5.552
    • Ver perfil
Re:Ubuntu não reconhece meu monitor externo!!!
« Resposta #1 Online: 12 de Julho de 2016, 01:21 »
Estou tentando sair do Windows e ficar utilizando apenas o Linux, mas estou totalmente decepcionado com a deficiência no que diz respeito a drivers [...]
Isso demostra por que o Windows é líder de mercado (mesmo sendo muitíssimo caro!).

Pois então, /josinaldo_justino/,

Não fique decepcionado não, o Linux é assim mesmo, não irá rodar em todos os computadores, conseguirá numa vasta maioria, mas não em todos.

E tem mais, o Linux é insignificante enquanto participação de mercado no segmento personal computers, um market share inexpressivo, e realmente ninguém está preocupado com isso, porque de fato não há ninguém querendo vender Linux para o "povo' em geral. Não há nenhuma pretensão de ocupar esse espaço.

Note que não há uma "empresa", que almeja lucros e resultados financeiros, tentando convencer ninguém a usar Linux nos seus personal computers domésticos e nem mesmo corporativos e muito menos vendendo Linux nesse segmento de mercado.

Em termos concretos o market share do segmento PC divide-se, grosso modo, em 2% Linux (se tanto, possivelmente é um pouco menor, 1,7%, ou 1,8%, estou generosamente arredondando para 2%), outros 10% pertencem à Apple e mais ou menos 85% percentem à Microsoft com o seu Windows e não há nenhuma perspectiva de que isso venha a mudar no curto ou médio prazo e, aliás, ninguém está mesmo querendo mudar isso, não conheço uma única empresa no mundo que tenha planos concretos ou ao menos uma ligeira intenção de mudar esse quadro.

Vamos ser claros e entender o que é fundamental ser entendido: Windows é para o povo, para as massas, Linux é para poucos, é assim, irá continuar assim e certamente a maioria dos usuários Linux prefere mesmo que seja desse modo.

Linux é um sistema operacional predominantemente utilizado por profissionais de TI e que, aos poucos, criou algumas facilidades que permitiram pessoas menos técnicas também usar, mas sem nunca ter a pretensão de tornar isso realmente "popular".

Claro que no presente momento tem aparecido notoriamente por aqui as "viúvas do XP", pela óbvia razão que a Microsoft encerrou o suporte à maquinas velhas e então esse povo, sem ter para onde ir e geralmente sem ter dinheiro para comprar computador moderno, está tentando uma sobrevida de seus equipamentos vindo para o Linux, mas sabemos que essa "onda" não irá demorar a passar, pois tais equipamentos brevemente irão se aposentar até mesmo no Linux, que aliás não é cemitério de máquina velha.

Por outro lado e isso posto, é ver que 99,4% dos 500 TOP supercomputadores do planeta rodam Linux.

Em termos exatos isso significa que dos 500 TOP supercomputadores, 497 rodam LInux e os 3 restantes rodam Unix, nenhum deles roda Windows e certamente isso deve significar alguma coisa.

Em outra vertente, como consabido, a computação pessoal derivou sobremaneira para dispositivos móveis, notadamente celulares, que de forma avassaladora executam o sistema operacional Android, que como se sabe é um Linux embarcado, alterado pela empresa Google.

Assim sendo, é fácil perceber o quase absoluto domínio Linux no mercado corporativo de servidores de alta performance e mais recentemente no campo da computação móvel e o igualmente quase absoluto domínio Windows no segmento dos computadores pessoais.

É infantil e falta de compreensão do que seja o mercado e o mundo dos negócios achar que essa realidade irá mudar no curto e médio prazo.

Quem conhece um pouco de negócios e de mercado sabe que ganhar market share custa dinheiro, muito dinheiro, e sobretudo muito dinheiro mesmo quando o mercado ou o segmento de mercado é quase monopolizado. Não é brincadeira para criança, não é para ingênuos e, principalmente, não é para quem não tem dinheiro grosso, mas dinheiro grosso de verdade e estamos falando de muitos e muitos bilhões de dólares, nada menos.

A Microsoft é uma empresa sólida, saudável, produz lucros generosos, o que lhe dá essa solidez.
Quer mudar isso? Somente ingênuos acham que basta criar um bom produto e está tudo resolvido.
Se você tiver e quiser arriscar alguns bilhões de dólares, então pode fazer sua aposta.

Como dito, para mudar esse quadro é necessário uma aposta de bilhões e bilhões de dólares.
Você ou alguém está vendo algum player investindo nesse sentido?
Conhece algum grupo econômico mundial disposto a bancar essa aposta?

Veja que a Apple (cujo sistema operacional é um like-Unix), uma companhia de quase fantásticos 1 trilhão de dólares, se tornou fantasticamente maior que a Microsoft, pela via da produção e venda de artigos eletrônicos de consumo, mas nem mesmo assim cometeria a "besteira" de ficar gastando bilhões de dólares para tentar desbancar a Microsoft do seu segmento de mercado, pois apenas não é assim que os negócios funcionam, isso é essencial entender.

Não se iluda com discursos infantilistas de uns poucos empolgados "torcedores" do opensource, pois isso é mais empolgação fanática do que realidade, aliás, não há realidade alguma nesses discursos e, na verdade, ninguém leva isso realmente à sério.

Como corolário, apenas posso lhe dizer que tenho conseguido executar Linux muito bem e sem maiores problemas em muitos e muitos computadores pessoais, não tenho e nunca tive nenhum problema de incompatibilidade de hardware, mas isso se deve ao fato de, antes de comprar equipamento, escolher à dedo aqueles componentes que sei com certeza que rodam bem no Linux, pois esse é o caminho para não ter problemas.

Finalmente e apenas lembrando, a Canonical, uma das maiores do mundo Linux, é apenas "cafezinho" quando comparado com os verdadeiros players do mercado.

Não fique no Linux apenas porque ele é "de grátis", não é esse o verdadeiro motivo para usar Linux, até porque uma licença doméstica do Windows nem custa tão caro assim, nada que não se possa pagar economizando um simples churrasco de fim de semana.

Por último, volte para o Windows e seja feliz, pois se quiser mesmo permanecer no mundo Linux, é necessário compreender como ele funciona e uma outra disposição.



Saudações olímpicas.  :)
 

« Última modificação: 12 de Julho de 2016, 02:13 por druidaobelix »
www.arredondar.org.br
Vencedor Desafio de Impacto Social Google 2016!
Você também pode participar e fazer a diferença.