Autor Tópico: Hackers, um pouco de história  (Lida 12588 vezes)

Offline Ints

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 42
    • Ver perfil
Hackers, um pouco de história
« Online: 29 de Setembro de 2015, 01:16 »
Olá!

Sei que o Fórum é para falar do Ubuntu. Mas já procurei na internet e não achei a resposta e imagino que alguém por aqui possa ter alguma boa idéia sobre isso. De qualquer forma, se tomar do ponto de vista histórico, a pergunta tem algo a ver com o Linux e, consequentemente, com o Ubuntu.

Pois então, procurando acerca da história do Linux, vi que muitos relacionam com uma certa filosofia hacker. Fui procurar quem eram os hackers e descobri que o termo aparece em An Abridged Dictionary of the TMRC, em 1959. Lá o hack é definido assim:

HACK: 1) something done without constructive end; 2) a project undertaken on bad self-advice; 3) an entropy booster; 4) to produce, or attempt to produce, a hack. (http://www.gricer.com/tmrc/dictionary1959.html)

A pergunta: alguém sabe explicar oque significam os pontos dois e três?

Vlw

Offline agente100gelo

  • Administrador
  • Usuário Ubuntu
  • *****
  • Mensagens: 4.369
  • @Ceará
    • Ver perfil
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #1 Online: 29 de Setembro de 2015, 09:07 »
Movo o tópico para o Café com Ubuntu.

Rapaz, o 2 eu traduziria como "gambiarra".
Advogado e analista de sistema cearense.
Twitter: @glaydson

Offline rudregues

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 388
  • Fight!
    • Ver perfil
    • Dieta Paleo
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #2 Online: 29 de Setembro de 2015, 10:52 »
3) an entropy booster;
Entropia é a medida de desordem de um sistema. De forma mais literal, seria um 'aumentador de desordem'. Acho que isso é alguma definição mais zueira de que o hacker toca a maior zona ou consegue bagunçar bem as coisas.
Gentoo — Controle total sobre o sistema.

Offline Mario Limão

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 128
  • Gremista, Arquiteto, Monarquista-Absolutista
    • Ver perfil
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #3 Online: 29 de Setembro de 2015, 12:14 »
Dicionários conceituam os hackers como profissionais do bem e crackers como criminosos.

http://olhardigital.uol.com.br/noticia/qual-a-diferenca-entre-hacker-e-cracker/38024
Ubuntu 14.04.5-LTS;  Desktop Amazon; Intel Core 2 Duo CPU E4500 @ 2.20 GHz x2; 4 GB; Intel 945Gx86/MM/SSE2; 32-Bit; 160GB.

Offline agente100gelo

  • Administrador
  • Usuário Ubuntu
  • *****
  • Mensagens: 4.369
  • @Ceará
    • Ver perfil
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #4 Online: 29 de Setembro de 2015, 15:06 »
Dicionários conceituam os hackers como profissionais do bem e crackers como criminosos.

http://olhardigital.uol.com.br/noticia/qual-a-diferenca-entre-hacker-e-cracker/38024

Discordo desta classificação. Hacker é gênero.  Cracker é uma espécie de.
Advogado e analista de sistema cearense.
Twitter: @glaydson

Creto

  • Visitante
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #5 Online: 29 de Setembro de 2015, 15:18 »
Hacker's fizeram >-->>isso e em 2001 comemoraram os 20 anos de sucesso, expressões que os definam..., humm, podemos até filosofar, mas definir mesmo, é complicado. Ainda mais expressões criadas como paradigmas de definições.

Mas eu como sou um mero tagarela, nem escrever direito sei..., apenas indico assistir o vídeo postado nesta mensagem se conseguir baixar.

Essa foi uma boa história do GNU Linux e desses caras que pensaram diferente.

T+

Offline Ints

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 42
    • Ver perfil
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #6 Online: 01 de Outubro de 2015, 22:26 »
Movo o tópico para o Café com Ubuntu.

Rapaz, o 2 eu traduziria como "gambiarra".

Legal! Seria, então, uma espécie de quebra-galho?

Offline Ints

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 42
    • Ver perfil
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #7 Online: 01 de Outubro de 2015, 22:28 »
3) an entropy booster;
Entropia é a medida de desordem de um sistema. De forma mais literal, seria um 'aumentador de desordem'. Acho que isso é alguma definição mais zueira de que o hacker toca a maior zona ou consegue bagunçar bem as coisas.

Tipo, agluém que produz um caos criativo? Ou seria toca a maior zona simplesmente pela próṕria bagunça?

Offline Mario Limão

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 128
  • Gremista, Arquiteto, Monarquista-Absolutista
    • Ver perfil
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #8 Online: 02 de Outubro de 2015, 14:08 »
Amigo Ints. Agora, neste café, vale o papo filosófico.
Me chama a atenção que sua base conceitual é do ano 1959. Naquele tempo ... era forte o anarquismo.
Neste caso, provocar a maior zona pela própria bagunça, valida a entropia. Hoje, é cracker.
Neste momento, 2015, o conceito de hacker é positivista, construtivista, e tem muito de autodidata.
Daí, a crítica contrária de alguns acadêmicos. Ou não?
Gostei do tema. Forte abraço!
Ubuntu 14.04.5-LTS;  Desktop Amazon; Intel Core 2 Duo CPU E4500 @ 2.20 GHz x2; 4 GB; Intel 945Gx86/MM/SSE2; 32-Bit; 160GB.

Offline rudregues

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 388
  • Fight!
    • Ver perfil
    • Dieta Paleo
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #9 Online: 02 de Outubro de 2015, 16:33 »
3) an entropy booster;
Entropia é a medida de desordem de um sistema. De forma mais literal, seria um 'aumentador de desordem'. Acho que isso é alguma definição mais zueira de que o hacker toca a maior zona ou consegue bagunçar bem as coisas.

Tipo, agluém que produz um caos criativo? Ou seria toca a maior zona simplesmente pela próṕria bagunça?
Acredito que tenha mais a ver com o 'caos criativo'. Digo isso pela própria história de hacks famosos do passado (eram hacks para quebrar paradigmas, para enxergar um problema de forma diferente, dar uma nova utilidade pra algo etc). Acredito que o hack para 'desordem pela desordem' também tem uma pitada de participação nisso, porém menor.
Gentoo — Controle total sobre o sistema.

Offline rudregues

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 388
  • Fight!
    • Ver perfil
    • Dieta Paleo
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #10 Online: 02 de Outubro de 2015, 16:34 »
Amigo Ints. Agora, neste café, vale o papo filosófico.
Me chama a atenção que sua base conceitual é do ano 1959. Naquele tempo ... era forte o anarquismo.
Neste caso, provocar a maior zona pela própria bagunça, valida a entropia. Hoje, é cracker.
Neste momento, 2015, o conceito de hacker é positivista, construtivista, e tem muito de autodidata.
Daí, a crítica contrária de alguns acadêmicos. Ou não?
Gostei do tema. Forte abraço!
Até acho que isso tenha alguma influência, mas não acho que fosse o principal
Gentoo — Controle total sobre o sistema.

Offline Ints

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 42
    • Ver perfil
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #11 Online: 03 de Outubro de 2015, 14:19 »
Amigo Ints. Agora, neste café, vale o papo filosófico.
Me chama a atenção que sua base conceitual é do ano 1959. Naquele tempo ... era forte o anarquismo.
Neste caso, provocar a maior zona pela própria bagunça, valida a entropia. Hoje, é cracker.
Neste momento, 2015, o conceito de hacker é positivista, construtivista, e tem muito de autodidata.
Daí, a crítica contrária de alguns acadêmicos. Ou não?
Gostei do tema. Forte abraço!

Valeu Mario! Pois então, essa definição é antiga mesmo. Acho que mudou muito ao longo do tempo. Ainda assim, parece que ela diz algo a respeito do que os hackers - e sua ética - viriam a ser posteriomente. Foi por isso que pedi ajuda, para tentar entender o que a galera pensava naquela época. Um abraço!

Creto

  • Visitante
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #12 Online: 05 de Outubro de 2015, 16:11 »
Rapazes..., ao Mario Limão,

Você ainda diz ser eu o professor!?

De toda a filosofia exposta aqui, concordando com todos os pontos de vista. Eu gostei do exposto pelo Mario, já que ninguém nasce sabendo, mas possivelmente ler e entender o que se lê pode ser o suficiente para ser considerado um hacker.

E não obrigatoriamente ter curso acadêmico.

T+

Offline Mario Limão

  • Usuário Ubuntu
  • *
  • Mensagens: 128
  • Gremista, Arquiteto, Monarquista-Absolutista
    • Ver perfil
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #13 Online: 06 de Outubro de 2015, 11:41 »
Tomando meu cafèzinho ... medito sobre o documentário "Revolution OS".
Sim, Prof. Creto - papa chibé, paraense da gema amazônica - "Essa foi uma boa história do GNU Linux e desses caras que pensaram diferente". Sua indicação é uma jóia para o perfeito entendimento do grande passo da humanidade na globalização mundial. Destaco o papel fundamental de Richard Stallman, filósofo do movimento e gerente do GNU PROJECT no MIT em 1984; a contribuição genial de Linus Torvald na criação do Kernel e sua justificativa de que as pessoas usam programas (e não SO). Então, repasso a indicação para que todos assistam o Revolution OS, especialmente os amigos Ints e Agente100gelo, nosso administrador.
Obrigado e forte abraço!
Ubuntu 14.04.5-LTS;  Desktop Amazon; Intel Core 2 Duo CPU E4500 @ 2.20 GHz x2; 4 GB; Intel 945Gx86/MM/SSE2; 32-Bit; 160GB.

Creto

  • Visitante
Re:Hackers, um pouco de história
« Resposta #14 Online: 07 de Outubro de 2015, 09:06 »
Oi Mario,

O agente100 eu tenho um forte "achismo" de que ele já assistiu, pois esse documentário foi indicado a mim por um outro membro da equipe ubuntu o genial Tio Fenix ;)

T+