Fórum Ubuntu Linux - PT
24 de Outubro de 2014, 09:19 *
Olá, Visitante. Faça o login ou registre-se.
Perdeu o seu e-mail de ativação?

Login com nome de usuário, senha e duração da sessão
Notícias: Atenção usuários de email com anti-spam (Uol e Bol).
 
   Home   Ajuda Regras Pesquisa Login Registre-se  
Anúncios
Páginas: [1]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: Como testar o Wine com CSMT (multithreading gráfico)  (Lida 161 vezes)
Nosferatu Arucard
Usuário Ubuntu
*
Deslogado Deslogado

Mensagens: 57


Ver Perfil
« em: 18 de Outubro de 2014, 10:08 »

Para quem usa o Wine para correr um determinado número de jogos, especialmente os mais graficamente exigentes, é extremamente recomendado usar uma funcionalidade experimental que ainda não foi devidamente introduzida na versão padrão do Wine (como o Wine-Compholio usado no Pipelight), que é conhecida por CSMT.
Este (gigantesco) patch introduz o multi-threading gráfico, que é recorrente desde o DirectX 9 e obrigatório no 10 e 11  Sem Graça.
Em termos gerais o módulo CSMT substitui o antigo código de tradução single-thread pela CPU das instruções Direct3D para OpenGL para um tradutor multi-thread que separa diferentes componentes da renderização gráfica em vários processos (threads) paralelos. Esta funcionalidade exige uma CPU com vários cores/threads físicos para melhor desempenho, bem como a GPU suportar nativamente o multi-thread gráfico, como ocorre nas placas gráficas mais recentes. (O OpenGL 4.x já implementa o multi-threading de forma sucinta)
Além disso os jogos Windows que suportam o OpenGL também ficam beneficiados com o CSMT, pois completa funcionalidades ausentes nos ports Windows destes jogos.  Sem Graça

A vantagem desta versão modificada do Wine é que muitos jogos graficamente exigentes passam de um desempenho mediano (quando usamos máquinas potentes) ou medíocre (usando placas de entrada de gama perfeitamente jogáveis no Windows), para um desempenho óptimo ou adequado, passando em média de 30-40% (ou em casos extremos menos de 20%  Zangado) para 80-90% de performance em relação ao sistema operativo original. (Em certos casos pode chegar e ultrapassar os 100%, mas são casos pontuais)  Sorridente

Para evitar o trabalho de compilar pode activar o repositório do Wine for Games ou usando as versões CSMT do PlayonLinux.

No primeiro caso deve activar  o repositório especificado em:
https://launchpad.net/~foresto/+archive/ubuntu/winepatched

E depois activar o PPA com o comando:
sudo add-apt-repository ppa:foresto/winepatched

O pequeno senão é que este repositório encontra-se com actualizações irregulares.

Se preferir usar o PlayonLinux pode instalar a última versão modificada que encontra-se referenciada como 1.7.24-CS-0.9.1 (já é um pouco datada em relação à versão mainstream 1.7.29), mas raramente dá problemas com os jogos mais recentes.

Independentemente do caminho que escolheu para instalar (recomendo a segunda opção para manter a última versão padrão para outros programas/jogos, pois a versão CSMT deve ser tratada como as versões do Wine-Compholio, versões de uso experimental/restrito), deve abrir o Editor de Registo e acrescentar a seguinte chave:
Abra a pasta: HKCU/Software/Wine e acrescente uma nova chave designada "Direct3D" (deve apagar os restante hacks porque o CSMT torna metade deles obsoletos ou incompatíveis)
Dentro da pasta Direct3D crie uma nova cadeia (Valor Texto) designada "CSMT". Edite-a (Modificar) e escreva "enabled".

Sucintamente, isto edita a chave HCKU/Software/Wine/Direct3D/CSMT="enabled"

Depois feche o Editor de Registo e reinicie o Wine (wineboot).

Até ao momento testei dois jogos com esta versão modificada do Wine:

No Wolfenstein New Order é necessário criar uma versão de 64-bits pois é um dos primeiros jogos nativos de 64-bits que não suporta 32-bit. Este jogo usa o Direct3D 11 na inicialização e depois comuta para o OpenGL. Felizmente a componente DirectX 11 do Wine é suficiente para o jogo efectuar os testes e comutar para o OpenGL  Contente
 A gráfica do meu computador (GT 440) é fraca para correr este jogo decentemente (gasta rapidamente o 8 Gb de RAM e um 1 Gb de VRAM num instante), pois é um port directo da versão PS4  Sem Graça
Sem o CSMT ligado, o jogo é sofrível mesmo mantendo as configurações mínimas, mas com o CSMT ligado já é jogavel com as definições médias e com o dobro do frame-rate e maior fluidez  Chocado

Em relação ao Assassin's Creed Revelations (o III e IV terão de esperar com a finalização do suporte ao Direct3D 11, que ainda está em curso  Zangado), transforma um jogo com um desempenho mediano, com picos de arrastamento, num com maior fluídez.  Sorridente Pelo menos foi possível jogar a 1080p  Chocado, com MSAA 2x e V-Sync activo com as opções gráficas no máximo (Tenho um Core i7  Sem Graça).
Por vezes pode ocorrer algum lag, mas o desempenho global é quase tão bom como no Windows.

Relembro que não são admitidos testes no Wine Application Database com versões CSMT activas, a não ser que compare com o original e refira com nota adicional.  Sorridente
Registrado
Páginas: [1]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

Powered by MySQL Powered by PHP Tema desenvolvido por FaBMak e n3t0
Powered by SMF 1.1.19 | SMF © 2006-2009, Simple Machines
© 2014 Canonical Ltd. Ubuntu e Canonical são marcas registradas da Canonical Ltd.
XHTML 1.0 válido! CSS válido!