Fórum Ubuntu Linux - PT
24 de Abril de 2014, 04:17 *
Olá, Visitante. Faça o login ou registre-se.
Perdeu o seu e-mail de ativação?

Login com nome de usuário, senha e duração da sessão
Notícias: Atualização no plugin de busca para Firefox e Internet Explorer.
 
   Home   Ajuda Regras Pesquisa Login Registre-se  
Anúncios
Páginas: 1 2 [3]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: Motivos para não usar distros nacionais!!  (Lida 10024 vezes)
lr.gamito
Usuário Ubuntu
*
Deslogado Deslogado

Mensagens: 305


Geek by Nature, Linux by Choice!


Ver Perfil WWW
« Responder #30 em: 23 de Fevereiro de 2007, 12:02 »

Citação de: JeffersonX

Pra mim falta uma distro com a filosofia do Ubuntu aqui no Brasil.

Adoro as distros brasileiras, são sempre cheia de recursos, e exelente pra iniciantes. Mas concordo com o JeffersonX, aqui falta uma distro que procure ser limpa e que não faça tudo scripts.... pois esse foi um dos motivos que eu deixei o kurumin, queria saber o que ele fazia as escondidas nos scripts....hj eu sei, ai eu sei como fazer em qqr distro e naum fico dependendo de automatizadores.....

Hj naum troco o ubuntu por nada...

« Última modificação: 23 de Fevereiro de 2007, 14:16 por lr.gamito » Registrado

Quem quer fazer alguma coisa encontra um meio! Quem não que fazer nada encontra uma desculpa!
Dell Inspiron 1525 | Dual Core T4200 | 3GB MEM | 160 GB HD | Ubuntu 10.04
Intruder_A6
Usuário Ubuntu
*
Deslogado Deslogado

Mensagens: 226

Kubuntu 13.04


Ver Perfil
« Responder #31 em: 23 de Fevereiro de 2007, 14:03 »

Sou brasileiro e moro no Paraná. Assim, de início, achava um absurdo eu não usar o Conectiva. Esse foi o primeiro linux que usei. Caramba! O Conectiva era muito bugado. Sempre que instalava o sistema, alguma coisa não funcionava. Era irritante! Pra mim, o Conectiva era uma distribuição muito ruim. Não sei como está agora.

Bom... Com os bugs do Conectiva, mudei para o RedHat/Fedora. Afinal de contas, todo muno falava que o Conectiva era derivado do RedHat. Após a instalação do RedHat, fiquei com mais raiva do Conectiva, pois, no RedHat tudo funcionava bem. Após a instalaçao do sistema, quase tudo estava configurado perfeitamente.

Um tempo depois, descobri o SuSE. Na época, ele estava na versão 9. Instalei ele no meu micro e TUDO funcionou corretamente. Impressionante! o Yast comanda! Muita coisa funcionava melhor do que no Winodws XP. Daí.. Larguei o Windows de vez.

Daí... Conhecio o Ubuntu. Passei a recomendar o Ubuntu para quem tinha micro antigo. Afinal de contas, o SuSE é muito pesado. Foi aí que percebi que usuários com máquinas mais modestas (rodando Ubuntu) que a minha tinham um sistema muito mais rápido que o meu (rodando SuSE). Foi aí que resolvi testar o Ubuntu e estou nele até hoje. Tudo funciona bem e o sistema é bem leve. Pra que então eu vou mudar?

Como vêem, o patriotismo me fez procurar uma distribuição nacional e o Conectiva me fez procurar uma que funcionasse.

Ele melhorou muito, e na sua versão 10 tinha virado uma ótima distribuição. Mas ai vieram os franceses ( do mandrake ), compraram e mataram a distribuição. Eu até que resisti um tempo, mas a falta de atualização no Conectiva 10 me fez desistir, e agora eu uso o Kubuntu. Mas, usar Mandriva, jamais !!!


Mas apesar de tudo ainda guardo no meu HD os ISOs do Conectiva Linux 10 ( acho que é por razão sentimental ).
« Última modificação: 23 de Fevereiro de 2007, 14:05 por Intruder_A6 » Registrado
ins3rt c0in
Usuário Ubuntu
*
Deslogado Deslogado

Mensagens: 700


Ver Perfil
« Responder #32 em: 23 de Fevereiro de 2007, 14:47 »

Acho que depois de toda a evolução do Linux ja tá na hora de enxugar um pouco o número de distribuições. Era melhor que todos se concentrassem mais em padronização, softwares e suporte à hardware. A cada nova distribuição é um grupo a menos seguindo os mesmos passo que outros estão seguindo. Se for ver bem, salvo alguma exceções de distros com finalidades mais específicas, esse monte de distribuições não acrescenta nada, só repetem o que outra já faz mas com uma customização um pouquinho diferente pra agradar pessoas um pouquinho diferentes.

Penso isso pro Linux no Brasil e no Mundo. Espero que o sucesso do Ubuntu e da Linux Foundation ajudem a diminuir a "profusão" de distribuições sabor "limão mais ou menos azedo, mais pra menos que pra mais, com leve toque de lima limão".

Chegando no tópico agora. Eu respeito bastante o Kurumin, acho que é quase uma distro unânime para os primeiros passos, pelo menos no Brasil. Inclusive foi o primeiro que eu usei de verdade. Tem toda a facilidade dos scripts e é adaptada aos padrões da informática brasileira como um todo. Mas é claro, com o tempo de uso todo mundo tende a deixar o Kuruma por uma distro mais enxuta, profissonal e com maior suporte. Acho que se o kurumin fosse mais profissional (no mínimo tinha que ter um site só pra ele), e não ficasse rendendo tantos derivados poderiamos ter uma distribuição de ponta brasileiríssima.

Mas no fim das contas, não acredito nesse tipo de patriotismo, principalmente com internet e mais ainda com software livre. O Ubuntu por exemplo, apesar de ter nascido na África do Sul ele é mundial.

Registrado
Madrigal
Usuário Ubuntu
*
Deslogado Deslogado

Mensagens: 815



Ver Perfil
« Responder #33 em: 24 de Fevereiro de 2007, 01:15 »

Pra mim a melhor distro brasileira é o Big Linux, não entendo como ele não é tão (ou mais) popular que o Kurumin... talvez pelo fato do Kurumin ter sido o primeiro...

Esperimentem.

www.biglinux.com.br
Registrado
Piras
Visitante
« Responder #34 em: 24 de Fevereiro de 2007, 03:21 »

Acho que depois de toda a evolução do Linux ja tá na hora de enxugar um pouco o número de distribuições. Era melhor que todos se concentrassem mais em padronização, softwares e suporte à hardware. A cada nova distribuição é um grupo a menos seguindo os mesmos passo que outros estão seguindo. Se for ver bem, salvo alguma exceções de distros com finalidades mais específicas, esse monte de distribuições não acrescenta nada, só repetem o que outra já faz mas com uma customização um pouquinho diferente pra agradar pessoas um pouquinho diferentes.

Penso isso pro Linux no Brasil e no Mundo. Espero que o sucesso do Ubuntu e da Linux Foundation ajudem a diminuir a "profusão" de distribuições sabor "limão mais ou menos azedo, mais pra menos que pra mais, com leve toque de lima limão".

Chegando no tópico agora. Eu respeito bastante o Kurumin, acho que é quase uma distro unânime para os primeiros passos, pelo menos no Brasil. Inclusive foi o primeiro que eu usei de verdade. Tem toda a facilidade dos scripts e é adaptada aos padrões da informática brasileira como um todo. Mas é claro, com o tempo de uso todo mundo tende a deixar o Kuruma por uma distro mais enxuta, profissonal e com maior suporte. Acho que se o kurumin fosse mais profissional (no mínimo tinha que ter um site só pra ele), e não ficasse rendendo tantos derivados poderiamos ter uma distribuição de ponta brasileiríssima.

Mas no fim das contas, não acredito nesse tipo de patriotismo, principalmente com internet e mais ainda com software livre. O Ubuntu por exemplo, apesar de ter nascido na África do Sul ele é mundial.



Embora uma nova distribuição Linux nasça a cada semana muita distro sem foco ou qualidade vem morrendo também, mesmo que aos poucos. Como criar uma nova distro é, na maioria das vezes, uma forma de aprimoramento técnico pessoal, é um fato que não deixa de ter os seus mérito. Além disso, são as distros mais jovens e menos "profissionais" as mais corajosas e ousadas na adoção de novas tecnologias, diante das quais distros mais maduras acabam hesitando demais.

Quanto ao "patriotismo" de criar ou usar uma distro nacional, penso que ele é ainda muito importante. Por mais globalizado que esteja o mundo, nós temos as nossas particularidades e, muitas vezes, só mesmo uma distro adaptada a nossa realidade pode atendê-las de modo satisfatório. Além disso, há muita distro "mundial" que de mundial mesmo só tem a pretensão. Europeus e americanos, que são muito globalizados da boca p'rá fora nunca deixam de favorecer as suas próprias empresas, inclusive as distribuições Linux. Pergunte qual é a distro mais utilizada pelas agências governamentais da França e eu responderei na lata: é aquela que comprou a maior distro brasileira, a Conectiva, que nunca teve de nossa parte e dos nossos "representantes" o reconhecimento e o apoio que ele merecia.
Registrado
Intruder_A6
Usuário Ubuntu
*
Deslogado Deslogado

Mensagens: 226

Kubuntu 13.04


Ver Perfil
« Responder #35 em: 24 de Fevereiro de 2007, 09:42 »

E a morte da Conectiva foi trágica para o Brasil ( na minha opinião pelo menos ). Se eles tivessem mais apoio provavelmente ainda estariam por aqui. Eu por exemplo comprei várias caixinhas desde o CL4 ( não foram todas ), e fui beta teste do Conectiva 10. Fiquei muito triste quando a Conectiva foi comprada, e mais ainda quando a distro foi descontinuada. O Conectiva Linux 10 estava muito mais estável e profissional que o Ubuntu ( não me crucifiquem por favor ). O Ubuntu/Kubuntu é realmente mais amigável, mas em termos de estabilidade e quantidade de Bugs, o Conectiva Linux 10 dava de 10 a 0 nele, principalmente no versão 6.10 .
Registrado
Páginas: 1 2 [3]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

Powered by MySQL Powered by PHP Tema desenvolvido por FaBMak e n3t0
Powered by SMF 1.1.19 | SMF © 2006-2009, Simple Machines
© 2014 Canonical Ltd. Ubuntu e Canonical são marcas registradas da Canonical Ltd.
XHTML 1.0 válido! CSS válido!